A arte das musas!

Uma introdução às relações entre música e mito na Grécia Antiga

Autores

  • Lidiane Carderaro Doutora em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo (MAE-USP). https://orcid.org/0000-0002-0710-1467

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v34i1.954

Palavras-chave:

música grega antiga , mitologia , músicos mitológicos , imagem, cerâmica grega

Resumo

Não é difícil encontrarmos em narrativas mitológicas da Grécia Antiga episódios em que a música exerça papel fundamental. São numerosos os seres mitológicos considerados músicos ou que possuem atributos musicais, com maior ou menor relevância para sua trajetória mitológica. Este artigo apresenta uma introdução a essas relações entre música e mitologia, tendo por base as representações em vasos cerâmicos. Baseado em um minicurso desenvolvido para promover o primeiro contato com o estudo da relação entre música e mitologia na Grécia Antiga, o texto apresenta algumas discussões sobre as interpretações da iconografia de temática musical na cerâmica grega, as relações sociais implicadas na imagem e a evolução formal dos instrumentos e personagens mitológicos. Assim, intenta-se demonstrar a importância da mitologia para o estudo da música grega antiga e vice-versa, e a importância dessa relação para a compreensão dos aspectos técnico, teórico e social da música na Antiguidade Grega.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDERSON, W. D. Music and musicians in Ancient Greece. New York: Cornell University Press, 1994.

BARRIO SANZ, E. et al. Plinio Senior. História Natural: Libros 7 a 11. Madrid: Gredos, 2003.

BEAZLEY, J. D. Attic Black-figure vase painters. Oxford: Clarendon Press, 1956.

BEAZLEY, J. D. Attic Red-figure vase painters. Oxford: Clarendon Press, 1963. 3 v.

BEAZLEY, J. D. Paralipomena. Oxford: Clarendon Press, 1971.

BÉLIS, A. L’organologie des instruments de musique de l’Antiquité: chronique bibliographique. Revue Archéologique, Nouvelle Série, n. 1, p. 127-142, 1989.

BÉRARD, C. (ed.). Images et société en Grèce Ancienne: l’iconographie comme méthode d’analyse. Lausanne: Institut d’Archéologie et d’Histoire Ancienne, 1987. (Cahiers d’Archéologie Romande, 36).

BERLINZANI, F. Strumenti musicali e fonti letterarie. Aristonothos, v. 1, p. 11-88, 2007.

BOARDMAN, J. Athenian Red figure vases. The Archaic period. London: Thames & Hudson, 1975.

BOARDMAN, J. Greek Art. London: Thames & Hudson, 1987.

BOARDMAN, J. The history of Greek vases. Potters, painters and pictures. London: Thames & Hudson, 2007.

BUNDRICK, S. Music and image in Classical Athens. Cambridge: University Press, 2005.

BUXTON, R. Imaginary Greece: the contexts of mythology. Cambridge: University Press, 1994.

CAEIRO, A. C. Píndaro. Odes Píticas. Lisboa: Prime Books, 2006.

CARDERARO, L. Do encanto à hybris: representações de seres mitológicos com atributos musicais na pintura de vasos gregos. Dissertação (Mestrado em Estudos Clássicos) – Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Coimbra, 2015.

CARDERARO, L. C. Variações da imagem de Apolo citaredo na cerâmica de influência grega produzida na Campânia entre os séculos V e III a.C. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2016.

CARDERARO, L. C.; CERQUEIRA, F. V. A imagem do músico jovem em agones musicais através da iconografia de vasos áticos. Cadernos do Lepaarq, v. 14, n. 27, p. 158-182, 2016. doi: https://doi.org/10.15210/lepaarq.v14i27.10542

CARPENTER, T. H. Art and myth in Ancient Greece. London: Thames and Hudson, 2006.

CASTALDO, D. Il Pantheon Musicale. Iconografia nella ceramica attica tra VI e IV secolo. Ravenna: Longo Editore, 2000.

CERQUEIRA, F. V. A música e o fantástico na Grécia Antiga: o imaginário, entre mito e filosofia. Per Musi, n. 36, p. 1-28, 2017.

CERQUEIRA, F. V. Apolo e Mársias: certame ou duelo musical? Abordagem mitológica da dualidade simbólica entre a lýra e o aulós. Classica, v. 25, n. 1-2, p. 61-78, 2012. doi:

https://doi.org/10.14195/2176-6436_25_4

CERQUEIRA, F. V. Digressões sobre o sentido e a interpretação das narrativas iconográficas dos vasos áticos: o caso das representações dos instrumentos musicais. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, v. 20, p. 219-233, 2010.

doi: https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2010.89923

CERQUEIRA, F. V. Os instrumentos musicais na vida diária da Atenas tardo-arcaica e clássica (550-400 a.c.): o testemunho de vasos áticos e de textos antigos. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade de São Paulo, 2001.

FRANCISCO, G. S. O Vaso grego hoje. Ciência e Cultura, v. 65, n. 2, p. 37-39, 2013. doi: https://doi.org/10.21800/S0009-67252013000200014. Acesso em: 7 ago. 2020.

FRAZER, J. G. Apollodorus. The Library. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1989-1995. 2 v.

GARTH, Sir S.; DRYDEN, J. Ovid. Metamorphoses. The MIT Internet Classics Archive, 1994-2009. Disponível em: http://classics.mit.edu/Ovid/metam.html. Acesso em: 27 jul. 2017.

JONES, W. H. S.; ORMEROD, M. A. Pausanias. Description of Greece. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1918. v. 4.

PAQUETTE, D. L’instrument de musique dans la céramique de la Grèce antique. Paris: Diffusion de Boccard, 1984.

RIBEIRO Jr., W. A. Hinos homéricos. São Paulo: Unesp, 2010.

ULIERIU-ROSTÁS, T. E. Music and socio-cultural identity in Attic vase painting: prolegomena to future research. Music in Art, v. 38, n. 1-2, p. 9-26, 2013.

VAN KEER, E. De Griekse Marsyasmythe: mythologie en iconografie. Kleio, v. 34, p. 13-24, 2004.

Downloads

Publicado

27-04-2021

Como Citar

Carderaro, L. (2021). A arte das musas! : Uma introdução às relações entre música e mito na Grécia Antiga. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 34(1), 173–185. https://doi.org/10.24277/classica.v34i1.954

Edição

Seção

Dossiê: Estudos sobre a Música da Antiguidade no Cone Sul