Antiguidade oriental no Brasil: relatos de pesquisa do “LEAO”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v32i2.856

Palavras-chave:

Mesopotâmia

Resumo

A participação do Laboratório de Estudos da Antiguidade Oriental (LEAO) no I Seminário dos Grupos de Estudo da Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos teve como objetivo principal visibilizar a produção científica do LEAO e articular sua atuação junto aos demais núcleos brasileiros, bem como consolidar a UFRGS como um polo de pesquisa na área dos estudos da Antiguidade no Brasil. O LEAO, criado em março de 2017, está vinculado ao Programa de Pós-graduação em História e ao Departamento de Artes Visuais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e tem como foco a pesquisa da antiga Mesopotâmia, ao longo dos três mil anos de história, e sua relação com as demais civilizações do Antigo Oriente Próximo. O grupo propõe o debate e a reflexão crítica sobre a história antiga oriental, discutindo questões contemporâneas e lançando um novo olhar sobre um passado do qual conservamos uma importante herança cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Katia Maria Paim Pozzer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Instituto de Artes, UFRGS

Programa de Pós-Graduação em História, UFRGS

Referências

ARISTÓTELES. Poética. Tradução de Ana Maria Valente. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2007.

BARBOSA, T. V. R.; CHIARINI, Ana; PALMA, Anna. Teatro e Tradução de Teatro. Belo Horizonte: Relicário Edições, 2017-2019. v. 1-2.

BOROWSKI, Gabriel. Oralidade e auditividade: tentativa de um mapeamento teórico. Miscelânea, Assis, v. 21, p. 31-50, 2017.

BRUYAS, Jean-Paul. Técnicas, Estruturas e Visão em Grande Sertão: Veredas. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, v. 18, p. 75-92, 1976. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i18p75-92.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011 [1955].

CHARLES, Daniel. Présentation du livre Le temps de la voix. Émission “Matinée des Autres”, France Culture, 20 déc. 1978. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=qPq0Sd_otBY. Acesso em 14/03/2019.

CASCUDO, Luís Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. São Paulo: Ediouro, 1972.

HAVELOCK, Eric A. Oral composition in the Oedipus Tyrannus of Sophocles. New Literary History, v. 16, n. 1, p. 175-197, 1984. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/468781. Acesso em: 12/06/2014.

KOSOVISKI, R. A mesa para a cena? Olhares: Revista da Escola Superior de Artes Célia Helena, n. 1, p. 62-65, 2009.

MELLO, Amanda; BARBOSA, T. V. R.; PALMA, Anna et al. Tradução de teatro: um paradigma a partir do El borde, de Amancay Espíndola. Tradução em Revista, v. 20, p. 1-18, 2016.

MESCHONNIC, Henri. Linguagem, ritmo e vida. Extratos traduzidos por Cristiano Florentino. Revisão de Sônia Queiroz. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2006.

MESCHONNIC, Henri. Ethics and Politics of Translating. Translated and edited by Pier-Pascale Boulanger. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 2011.

MOSCATO, Enzo. Degolarratos. Tradução de Anita Mosca. Belo Horizonte: Relicário Edições, 2016.

NOUSS, Alexis. Preface. In: MESCHONNIC, Henri. Ethics and Politics of Translating. Translated by Pier-Pascale Boulanger. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 2011. p. 1-9.

ROSA, João Guimarães. Grande Sertão: Veredas. In: ______. Ficção Completa. Organização de Eduardo F. Coutinho. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2009. v. 2, p. 7-395.

Suidae Lexicon: post Ludolphum Kusterum ad codices manuscriptos. Oxford: Typographeo Academico, 1834. v. 2.

ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz: a “literatura” medieval. Tradução de Amálio Pinheiro e Jerusa Pires Ferreira. São Paulo: Cia. das Letras, 1993.

Downloads

Publicado

31-12-2019

Como Citar

Pozzer, K. M. P. (2019). Antiguidade oriental no Brasil: relatos de pesquisa do “LEAO”. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 32(2), 359–368. https://doi.org/10.24277/classica.v32i2.856

Edição

Seção

Notas de Pesquisa