Equívocos nos estudos latinos

Autores

  • Haroldo Bruno Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v0i0.830

Palavras-chave:

ensino, língua, fala, competência receptiva, declinação.

Resumo

Sob a perspectiva de que o latim é uma língua viva (do passado) e após reflexões de caráter linguístico que orientam o trabalho, procuram-se apresentar algumas soluções linguísticas para o ensino de latim.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CARVALHO, J. G. H. Teoria da Linguagem. Natureza do fenômeno linguístico e a análise das línguas. Coimbra: Atlântida, 1973.

HJELMSLEV, L. Prolegômenos a uma Teoria da Linguagem. São Paulo: Perspectiva, 1975.

JAKOBSON, R. Linguística e Comunicação. São Paulo: Cultrix, 1971.

MARTINET, A. La Linguística Sincronica. Estudios e Investiciones. Madrid: Gredos, 1968.

MARTINET, A. Elementos de Linguística Geral. Lisboa: Sá da Costa, 1970.

SAUSSURE, F. de. Curso de Linguística Geral. São Paulo: Cultrix, 1972.

ULLMANN, S. Semântica. Uma introdução à Ciência do Significado. Lisboa: Gulbenkian, 1973.

Downloads

Publicado

1992-12-20

Como Citar

Bruno, H. (1992). Equívocos nos estudos latinos. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 177–182. https://doi.org/10.24277/classica.v0i0.830

Edição

Seção

Artigos