Que diálogo haveria entre música, arte dramática e dança no teatro antigo grego da época clássica?

Marie-Hélène Delavaud-Roux

Resumo


Que diálogo haveria entre música, arte dramática e dança no teatro grego antigo? Teríamos uma arte que sistematicamente estaria submetida a servir as duas outras ou se de?nindo em relação a elas, ou as três estariam em colaboração mas conservando sua especi?cidade e autonomia? Vamos tentar responder estas questões por meio de dois exemplos. O primeiro será constituído pelos versos 321-344 de Orestes, de Eurípides, nos quais a música foi registrada no papiro Rainier, datando do século II a. C. (Wien, Osterreichisches National Bibliothek G 2315) e posteriormente gravada em disco pelo grupo musical Kérylos, sob a direção de Annie Bélis. O segundo exemplo se encontra no início do párodos do coro de As Rãs, de Aristófanes, versos 209-220). A música não foi preservada, mas as sugestivas sonoridades ali indicadas sugerem a representação de sapos-cisnes, as quais podem ser facilmente exploradas por um ator/dançarino, a partir dos alternante ritmos ternários e binários presentes no texto.


Palavras-chave


Música; Teatro; Dança; Ritmos; Teatro Grego Antigo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14195/2176-6436_25_7

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2013 Marie-Hélène Delavaud-Roux

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.