Alashia e o comércio com o Egito na XVIII dinastia

Antonio Brancaglion Junior

Resumo


Os reis da XVIII dinastia promoveram uma política econômica de grande envergadura, que visava aumentar ao máximo as relações comerciais com outros reinos do Mediterrâneo Oriental e a Ásia, entre eles Chipre (Alashia), que por sua vez volta seu comércio em busca de um posicionamento privilegiado no mercado egípcio. O comércio exterior egípcio era um monopólio real, assim como a divisão dos produtos de luxo e prestígio que eram importados, o que contribuía para reforçar seu poder político internamente. Os produtos eram geralmente designados pelos egípcios como “tributos de países submissos”, mesmo vindos de países como Babilônia, Chipre e Mitani. Esta “arrogância” típica do Novo Império justifica-se dentro de uma política dos reis da XVIII dinastia.


Palavras-chave


Egito, Chipre, Alashia, Comércio Exterior, Mediterrâneo Oriental, Relações Exteriores.

Texto completo:

PDF

Referências


BRESTEAD, J. H. Ancient Records of Egypt: historical documents. New York: Russel & Russel, 1962. v. II.

CROSSLAND, R. A.; BIRCHALL, A. Bronze Âge Migrations in the Aegean: Archaeological and linguistic problems in Greek prehistory. Londres: Duckworth, 1973.

DRIOTON, E.; VANDIER, J. L’Égypte: Des origines à la conquête d’Alexandre. Paris: Presses Universitaires de France, 1989.

HAYES C. Willian. Egypt: international affairs from Tuthmosis I to the death of Amenophis III. In: The Cambridge Ancient History, v.II - 1. Cambridge: University Press, 1973.

KARAGEORGHIS, V. Chypre. Genêve: Les Éditions Nagel, 1968.

VERCOUTTER, J. Essai sur les Relations entre Égytiens et Pré-hellènes. Paris: Librairie A Maisounneuve, 1954. (col. L’Orient Ancient Illustré, 6)




DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v0i0.783

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Antonio Brancaglion Junior

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional