Os procedimentos classificatórios das religiões greco-orientais

Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto

Resumo


Os cultos greco-orientais que floresceram entre os séculos I e IV a. d. procuravam organizar o universo a partir de seus próprios sistemas classificatórios. Os procedimentos classificatórios utilizados em relação a outros sistemas de crenças serão estudados aqui como estratégias de estruturação de agentes sociais e da própria realidade.

Palavras-chave


História Romana; Paganismo Greco-Oriental; Sincretismo; Sistemas de Crenças; Religião Romana.

Texto completo:

PDF

Referências


APULEIO. L’Âne d’Or. Tradução de Pierre Grimal. Paris: Gallimard, 1975.

APULEIO. Oeuvres Completes d’Apullée. Tradução de Victor Betolaud. Paris: Frères Garnier, [s. d.].

BENVENISTE, E. Le Vocabulaire des Institutions Indo-Européennes. Paris: Les Éditions de Minuit, 1969.

BOURDIEU, P. A Economia das Trocas Simbó1icas. Tradução de Sérgio Micel. São Paulo: Perspectiva, 1987.

BURKERT, W. Antigos Cultos de Mistério. Tradução de Denise Bottman. São Paulo: Edusp, 1992.

CHUVIN, P. Chronique des Derniers Païens. Paris: Les Belles Lettres; Fayard, 1990.

CÍCERO. Das Leis. Tradução de Otávio de Brito. São Paulo: Cultrix, 1967.

CÍCERO. De la Nature des Dieux. Tradução de M. Matter. Paris: Panckoucke, 1830.

DEMÓSTENES. Oração da Coroa. In: Eloquência Grega e Latina. Tradução de Jaime Bruna. São Paulo: Cultrix, 1968.

DODDS, E. R. Os Gregos e o Irracional. Tradução de Leonor S. B. de Carvalho. Lisboa: Gradiva, 1988.

DUMÉZIL, G. La Religion Romaine Archaique. Paris: Payot, 1966.

DUNANO, F. Le Syncrétisme Islaque à la Fin de l’Époque Hellenistique. In: Les Syncrétismes dans les Religions Grecque et Romaine. Paris: Presses Universitaires de France, 1973. p. 79-93.

DURKHEIM, E. As Formas Elementares de Vida Religiosa. São Paulo: Paulinas, 1989.

EURÍPIDES. As Bacantes. Tradução de Fernando Melro. Lisboa: Inquérito, [s.d.].

FRAZER, J. G. La Rama Dorada. Tradução de Elizabeth e Tadeu Campuzano. México: F.C.E., 1974

GRIMAL, P. A Civilização Romana. Tradução de Isabel St. Aubyn. Lisboa: Ed.70, 1988.

HISTÓRIA DA VIDA PRIVADA 1. Tradução de Armando L. C. Homem. Lisboa: Afrontamento, 1989.

LÉVÊUE, P. Essai de typologie des Syncrétismes. In: Les Syncrétismes dans les Religions Grecque et Romaine. Paris: Presses Universitaires de France, 1973.

LUCRÉCIO. Da Natureza. Tradução de Agostinho da Silva. São Paulo: Nova Cultural, 1988, (Col. Os Pensadores). •

MARCO AURÉLIO. Tradução de Jaime Bruna. São Paulo: Cultrix, 1989.

MAUSS, M. Ensaios de Sociologia. Tradução de Luiz J. Gaio e J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 1981.

MOMIGLIANO, A. Os Limites da Helenização. Tradução de Cláudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro: Zahar, 1991.

OVÍDIO. As Metamorfoses. Tradução de David J. Júnior. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1983.

PETRÔNIO. Satirycon. Tradução de Paulo Leminski, São Paulo: Brasiliense, 1987.

RES GESTAE DIVI AUGUSTI. Oxford: Oxford University Press, 1986.

SANTO AGOSTINHO. A Cidade de Deus. Tradução de Oscar Paes Leme. Petrópolis: Vozes, 1990, v.1.

SCHEID, J. Religion et Piété à Rome. Paris: La Découverte, 1985.

SÊNECA. Apocoloquintose do Divino Cláudio. Tradução de Agostinho da Silva. São Paulo: Nova Cultural, 1988. (Col. Os Pensadores).

SÊNECA. Consolação a Minha Mãe Hélvia. Tradução de Agostinho da Silva. São Paulo: Nova Cultural, 1988. (Col. Os Pensadores).

TURCAN, R. Les Cultes Orientaux dans le Monde Romain. Paris: Les Belles Lettres, 1989.

VERNANT, P. La Grèce Ancienne et Étude Comparée des Religions. Archives des Sciences Sociales des Religions, Paris, n. 41, p. 5-25, 1976.

VEYNE, P. Le Pain et le Cirque. Paris: Seuil, 1976.




DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v0i0.777

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.