A atividade econômica e política da plebe urbana na Roma Imperial

Ludmilla Savry dos Santos Almeida

Resumo


As populações urbanas das grandes cidades antigas, principalmente Atenas e Roma, têm sido tratadas como sendo compostas, em sua maior parte, por uma massa ociosa que vivia às expensas do trabalho escravo. Estudos mais recentes têm demonstrado, entretanto, que tal formulação não corresponde às evidências. Em Roma, a distribuição de víveres não garantiu, em momento algum, o sustento individual. Em face desta constatação, a necessidade de que parte .significativa da plebe urbana teria que ser produtiva se impõe. O conceito de ociosidade econômica se ligaria ao de passividade política, sobretudo no Império. Sem a participação direta, característica da República, a população da cidade de Roma teria sofrido um processo de despolitização. O “pão e circo”· seriam oferecidos, então, em troca de uma configuração política livre de questionamentos. Pretendemos, através das fontes do período, demonstrar nossa argumentação contrária aos conceitos, paralelos em nosso entender, de ociosidade econômica e de neutralidade política da população urbana de Roma durante o Império.


Palavras-chave


História Romana, Império, plebe urbana de Roma, participação política e econômica.

Texto completo:

PDF

Referências


AMMIEN MARCELIN. Histoire. Texte établi et traduit par Jacques Fontaine. Paris: Les Belles Lettres. 1987. 2v.

AURÉLIUS VICTOR. Livre des Césars. Traduction nouvelle par Pierre Dufraigne. Paris: Les Belles Lettres, 1975.

CORPUS INSCRIPTIONUM LATINARUM (C. I. L). Consílio et auctoritate Academie Litterarum Borussicae editum. Bertin: Academie Verlag, 1869. v. 6.

ERODIANO. Storia dell’Impero Romano dopo Marco Aurelio. Traduzione Fabrizio Conco. Firenze: Sansoni, 1967.

FRIEDLAENDER, L. Les jeux. In: MARQUARDT, K. (Org.). Le culte chez les romains. Paris: Thorin, 1890. p. 247-349.

FRIEDLAENDER, L. Moeurs romaines d’Auguste à la fin du siècle des Antonins. Paris: C. Reinwald, 1867.

JUVENAL. Satyres. Texte établi et traduction par Piere Labriolle et François Villeneuve. Paris: Les Belles Lettres, 1921.

LE GALL. J. Rome, ville de fainéants? Revue des Études Latines, Paris, v. 44, p. 266-277, 1971.

MARTIAL. Épigrammes. Texte établi et traduit par H. J. Izaac. Paris: Les Belles Lettres, 1962. 2v.

PATLAGEAN. E. Aspetti politici della povertà urbana. In: PATLAGEAN. E. Povertà ed emarginazione a Bisanzio. Bari: Laterzá, 1986. p. 93-126.

RUDÉ, G. A multidão na História. Tradução por Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

TACITE. Annales. Texte établi et traduit par Pierre Wuillenier. Paris: Les Belles Lettres, 1978. 3v.

VEYNE. P. Le pain et le cirque. Sociologie historique d’un pluralisme politique. Paris: Seuil, 1976.

VEYNE. P. Panen et circenses: 1’évergétisme devant les sciences humaines. Annales ESC, Paris, n. 3, p. 785-825, 1966.

WOOD. E. M. The Myth of the Idle Mob. In: WOOO. E. M. Peasant – Citzen and slave. London: Verso, 1988. p. 5-41.

YAVETZ. Z. Plebs and Princeps. Oxford: University Press, 1969.

YAVETZ. Z. The Urban plebs in the Flavians, .Nerva and Trajan. In: Entretiens sur 1'Antiquité Classique – Opositions et résistances à 1’Empire d’Auguste à Trajan. Genève: Fondation Hardt, 1987. t. 33, p. 135-186.




DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v0i0.772

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Ludmilla Savry dos Santos Almeida

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional