O discurso amoroso de Arquíloco

Autores

  • Nely Maria Pessanha Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v0i0.770

Palavras-chave:

Arquíloco, Iambo, amor, invectiva.

Resumo

Arquíloco de Paros é, por antomásia, o poeta do amor. Há, no entanto, fragmentos que elegem como eixo temático os dons de Éros. Manifestam-se sob vários tons: ternura, paixão, sensualidade. Por vezes, o amor, modulando-se pelo diapasão dos impulsos instintivos, converte-se em obscenidade, expressa segundo os acordes da virulência do desprezo; substitui a ternura· pela invectiva e escárnio. O discurso amoroso insere-se, então, nos domínios da poesia do psógos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAKHTIN, M. Problemas da poética de Dostoiévski. Trad. Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense, 1981.

BAKHTIN, M. Récit épique et roman. In: Esthétique et théorie du roman. Trad. Daria Olivier. Paris: Gallimard, 1978. p. 440-473.

GENTIL, B. Poesia e púbblico nella G'ecia antlca. Roma: Editori Laterza, 1984.

IAMBI ET ELEGI GRAECI ANTE ALEXANDRUM CANTATI. Edidit, M. L. West. Editio altera. Oxford: Oxford University Press, 1989.

WEST, M. L. Studies on Greek Elegy and Iambus. Berlin; NewYork: Walter Gruyter, 1974.

Downloads

Publicado

13-12-1993

Como Citar

Pessanha, N. M. (1993). O discurso amoroso de Arquíloco. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 167–172. https://doi.org/10.24277/classica.v0i0.770

Edição

Seção

Artigos