Tradução da Primeira Sátira de Juvenal em Hexâmetros Portugueses

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v32i1.742

Palavras-chave:

Tradução Poética, Imitação, Juvenal.

Resumo

Esta tradução da sátira I de Juvenal é a primeira tradução vernácula que procura reproduzir não apenas a elocução, mas também o metro e o ritmo do original latino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Érico Nogueira, Universidade Federal de São Paulo

Professor de Língua e Literatura Latina, Departamento de Letras da EFLCH da Universidade Federal de São Paulo.

Referências

CARMO, Rafael Cavalcante do. Difficile est Saturam Bene Vertere: Os Desafios da Tradução Poética e uma Versão Brasileira das Sátiras de Juvenal. 290 f. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Centro de Ciências Humanas e Naturais, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2018. Disponível em: http://letras.ufes.br/ pt-br/pos-graduacao/PPGL/detalhes-da-tese?id=12155

JUVENAL. As sátiras de Decio Junio Juvenal, principe dos poetas satyricos. Introdução, tradução e notas por Francisco Antonio Martins Bastos. Lisboa: Imprensa de Candido A. da S. Carvalho,1839.

JUVENAL. Sátiras de Juvenal trasladadas em verso portuguez. Introduçã o, tradução e notas por Antonio de S. S. Costa Lobo. Lisboa: Imprensa Nacional, 1878-1881.

JUVENAL; PERSIUS. Juvenal and Persius. Edited and translated by Susanna Morton Braund. Cambridge: Harvard University, 2004.

NOGUEIRA, Érico. Medidas latinas em verso português. Cadernos de Tradução, v. 38, n. 3, p. 142-158, set-dez 2018.

doi: https://doi.org/10.5007/2175 7968.2018v38n3p142

OLIVA NETO, João Angelo; NOGUEIRA, Érico. O hexâmetro dactílico vernáculo antes de Carlos Alberto Nunes. Scientia Traductionis, n. 13, p. 295-311, jul. 2013. doi: https://doi.org/10.5007/1980-4237.2013n13p295

Downloads

Publicado

2019-08-15

Como Citar

Nogueira, Érico. (2019). Tradução da Primeira Sátira de Juvenal em Hexâmetros Portugueses. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 32(1), 299–305. https://doi.org/10.24277/classica.v32i1.742

Edição

Seção

Traduções