Adequação, formas e função de coisas e nomes no Crátilo de Platão

Autores

  • Celso Oliveira Vireira Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.14195/2176-6436_25_2

Palavras-chave:

Crátilo, Teoria das Formas, Função dos nomes, Ontologia, Linguagem

Resumo

O artigo apresenta uma tentativa de compreender o estatuto dos nomes no Crátilo a partir da concepção ontológica que serviria como pano de fundo da discussão. Assim, assumindo a presença em algum grau da Teoria das Formas, primeiro se realiza uma esquematização da ontologia das coisas no esforço de coordenar termos caros à ?loso?a de Platão como essência e Forma. Após o estabelecimento do papel da essência e Forma relativo às coisas vem a tentativa de comprovar sua correspondência no que concerne aos nomes. Esta tentativa gera uma possibilidade de entender as relações entre nomes e coisas a partir de suas funções (quando estes realizam suas essências) e de sua ligação com as Formas. Isto permite determinar a função dos nomes que seria meramente de referir. Assim, em vista deste funcionamento, se justi?ca o invalidamento dos nomes na busca pelo conhecimento que aparece no ?nal aporético do diálogo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celso Oliveira Vireira, Universidade Federal de Minas Gerais

Universidade Federal de Minas Gerais

Referências

BAMBROUGH, R. (Ed.). New essays on Plato and Aristotle. London: Routledge & Kegan Paul, 1965.

BARNEY, R. Names and Nature in Plato’s Cratylus. Londres, 2001.

BESTOR, T. W. Plato’s Semantics and Plato’s Cratylus. Phronesis, v. 25, p. 306-330, 1980.

CALVERT, B. Forms and Flux in Plato’s Cratylus. Phronesis, v. 15, p. 26-47, 1970.

FINE, G. Plato on Naming. Philosophical Quarterly, v. 27, p. 290-301, 1977.

GOLD, J. The Ambiguity of Name in Plato’s Cratylus. Philosophical Studies, v. 34, p. 223-251, 1978.

KETCHUM, R. Names, Forms and Conventionalism. Phronesis, v. 24, p. 133-147, 1979.

LUCE, J. V. Plato on the Truth and Falsity of Names. Classical Quarterly, v. 19, p. 222-232, 1969.

LUCE, J. V. The Theory of Ideas in the Cratylus. Phronesis, v. 10, n. 2, p. 21-36, 1965.

LUTOSLAWSKI, W. Origin of Plato’s Logic. Longmans, Green and Co., 1897.

ROBINSON, R. A Criticism of Plato’s Cratylus. The Philosophical Review, v. 65, n. 3, p. 324-334, 1956.

SEDLEY, D. The Midwife of Platonism: Text and Subtext in Plato’s Theaetetus. Oxford: Oxford University Press, 2002.

THOMAS, C. Inquiry Without Names in Plato’s Cratylus. Journal of the History of Philosophy, v. 46, n. 3, p. 341-364, 2008.

THOMAS, C. Inquiry Without Names in Plato’s Cratylus. Journal of the History of Philosophy, v. 46, n. 3, 2008.

Downloads

Publicado

2012-07-04

Como Citar

Vireira, C. O. (2012). Adequação, formas e função de coisas e nomes no Crátilo de Platão. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 25(1/2), 23–36. https://doi.org/10.14195/2176-6436_25_2

Edição

Seção

Artigos