Latinistas e helenistas em revista(s): notas sobre a especificidade francesa

Autores

  • Rafael Faraco Benthien Dehis/Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.14195/2176-6436_26-1_9

Palavras-chave:

Helenistas, Universidade Francesa

Resumo

O presente artigo discute os estribos e as implicações sociais da divisão de trabalho entre os estudiosos da antiguidade clássica no interior da moderna universidade francesa. Para tanto, partindo de uma discussão relativa às formas classificatórias proposta por Émile Durkheim e Marcel Mauss, ele mostra quais as lógicas subjacentes à diferenciação historicamente constituída entre helenistas e latinistas nesse país. Busca-se assim explicar porque, por exemplo, helenistas estiveram aí, em geral e estruturalmente, mais próximos dos grandes movimentos de inovação científica, ao passo que os latinistas, institucionalmente dominantes, assumiram posições mais conservadoras, ligadas à reafirmação do cânone retórico das belle-lettres francesas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENTHIEN, Rafael Faraco. Um homem entre vários mundos: sobre uma entrevista com Jean Bollack. PhaoS, v. 9, p. 5-27, 2009.

BENTHIEN, Rafael Faraco. Interdisciplinaridades: latinistas, helenistas e sociólogos em revistas (França,1898-1920). 2011. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-20102011-103318/pt-br.php. Acesso em: 6 mar. 2013.

BLANCHET, Beatrice. La Toge et la Tribune: engagements publics des classicistes français et britanniques au XXe siècle. Paris: L’Harmattan, 2004.

DURKHEIM, Émile. L’Évolution Pédagogique en France. Paris: Puf, 1999.

DURKHEIM, Émile; MAUSS, Marcel. De quelques formes primitives de classification. L’Année Sociologique, v. 6, p. 1-72, 1903.

ESPAGNE, Michel; WERNER, Michael. Philologiques I. Paris: Édition de la Maison de Sciences de L’Homme, 1990.

FOURNIER, Marcel. Émile Durkheim. Paris: Fayard, 2007.

HUBERT, Henri. Introduction. In: CHANTEPIE DE LA SAUSSAYE, P. D. Manuel d’Histoire des Religions. Traduit de l’allemand sous la direction de H. Hubert et I. Lévy. Paris: Armand Colin, 1904. p. i-xlviii.

RINGER, Fritz. Fields of Knowledge. Cambridge: Cambridge, 1992.

WAQUET, Françoise. Le Latin ou l’Empire d’un Signe. Paris: Albin Michel, 1998.

Downloads

Publicado

30-06-2013

Como Citar

Benthien, R. F. (2013). Latinistas e helenistas em revista(s): notas sobre a especificidade francesa. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 26(1), 157–167. https://doi.org/10.14195/2176-6436_26-1_9

Edição

Seção

Artigos