Razão, possessão, derrisão: três facetas das práticas divinatórias entre os romanos

Autores

  • Pedro Paulo Abreu Funari Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v4i4.581

Palavras-chave:

Adivinhação, rituais, religião romana, sociedade romana.

Resumo

As práticas divinatórias romanas têm sido consideradas como uma prática unitária englobando representações ideológicas e práticas rituais. Este artigo busca discutir alguns aspectos da adivinhação tal como encarada pelos romanos do período republicano tardio e do início do principado, tendo em vista suas contradições internas em termos tanto do pensamento como das práticas de adivinhação. O autor estuda os principais pontos de vista a respeito. A articulação das diferentes interpretações permite melhor compreender as tensões e contradições derivadas da adivinhação na sociedade romana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Paulo Abreu Funari, Universidade Estadual de Campinas

Departamento de História

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP

Referências

BROCK, W. R. Conjlict and Transformation. London: Penguin, 1978.

DUMÉZIL, G. La Religion Romaine Archaïque. Paris: Payot, 1974.

FUNARI, P. P. A. Cultura popular na Antiguidade clássica. São Paulo: Contexto, 1989.

GIDDENS, A. Central Problems in Social Theory. London: MacMillan, 1979.

GIDDENS, A. Social Theory and Modern Sociology. Cambridge: Polity, 1987.

GRANT, M. Cities of Vesuvius. London: Penguin, 1979.

GRODZYNSKY, D. Par la bouche de l' Empereur. In: AA.VV. Divination et Rationalité. Paris: Du Seuil, 1974, p. 267-94.

GÜNTHER SCHMIDT, E. Ökonomie, Kunst und Altertum bei Marx. Eirene, Praga, v. 22, p. 5-20, 1985.

HILL, C. Histoty and the Present. London: South Palace Ethical Society, 1989.

HOFSTADTER, R. The Progressive Historians. New York: Vintage, 1968.

LE GLAY, M. Magie et sorcellerie à Rome au dernier siècle de la république. Mélanges Jacques Heurgon, Paris: De Boccard, 1972, p. 525-50.

RUSTIN, M. The politics of Post-Fordism: or the trouble with "New Times". New Left Review, Londres, v. 175, p. 54-77, 1989.

SCHEID, J. Religion et pitié à Rome. Paris: Découverte, 1985.

THOMPSON, E. P. The making ofthe English Working Class. London: Penguin, 1968.

TUPET, A.-M. La mentalité superstitieuse à l'époque des Julio-Claudiens. Révue des Études Latines, Paris, v. 62, p. 206-35, 1984.

WOOD, E. M. Peasant-citizen and slave. London: Verso, 1983.

Downloads

Publicado

1991-12-01

Como Citar

Funari, P. P. A. (1991). Razão, possessão, derrisão: três facetas das práticas divinatórias entre os romanos. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 4(4), 135–144. https://doi.org/10.24277/classica.v4i4.581

Edição

Seção

Adivinhação no Mundo Antigo