A prosa latina clássica e a acribia na comunicação

Autores

  • Ariovaldo Augusto Peterlini Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v13i13/14.494

Palavras-chave:

Acribia, comunicação, precisão, latim.

Resumo

Os objetivos da comunicação: o pragmatismo moderno e o aniquilamento do pessoal sob a pressão do interesse econômico. How to get your point across in 30 seconds - or less. Que idéias podem caber em 30 segundos - ou menos? Com tantos e tão profundos estudos da linguagem em nosso tempo, por que vem decrescendo, entre nós, a habilidade de expor os próprios pensamentos? Teria sido mal interpretada a mensagem dos modernistas? Ou a preocupação dominante, nos meios universitários, com a língua falada, preocupação nascida já de motivos politícos, já do desprezo a que foi essa língua relegada por séculos, estaria desmerecendo nos mestres da língua culta e, inadvertidamente, fechando aos nossos jovens o acesso à cultura humana de séculos, que se acumula nas bibliotecas, quase sempre em língua culta? O trabalho constante sobre os textos latinos e gregos não é, por certo, o único caminho para alguém conseguir a propriedade, a precisão, a transparência na comunicação escrita, mas foi e continua sendo um dos meios mais adequados para isso. O latim só chegou até nós fixado numa forma escrita, quase livre de subsídios externos de entendimento, e esta vazado em nível culto, onde normalmente cada palavra tem sua importância. Ora, é a krisis, a escolha do termo e da construção exatos da língua de chegada, para traduzir com acribia o sentido preciso do latim - operação em extremo mais fácil entre as línguas vivas - que pode criar o hábito de uma visão analítica do que se escreve.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ariovaldo Augusto Peterlini, Universidade de São Paulo

Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP

Referências

BREAL, Michel. De l'enseignement des langues anciennes. Paris: Librairie Hachette et Cie, 1891.

CICÉRON. De l'orateur. Paris: "Les Belles Lettres", 1956.

CICÉRON. Divisions de l'art oratoire. Topiques. Paris, "Les Belles Lettres", 1960.

COVA, Pier Vicenzo. Latino e didattica della continuita. Brescia: Editrice La Scuola, 1982.

DRUMMOND de Andrade, Carlos. Reunião. Rio de Janeiro: Liv. José Olympio, 1969.

DRUMMOND de Andrade, Carlos. A paixão medida. 2a ed. Rio de Janeiro: Liv. José Olympio, 1980.

ECO, Umberto. "La ligne et le labyrinthe: les structures de la pensée latine". In: DUBY,George. Civilization Latine. Paris: Éditions Olivier Orban, 1986.

ECO, Umberto. Il nome della rosa, 22a ed. Milano: Ed. Bompiani, 1987.

FERREIRA, António. Poemas Lusitanos - Seleção de F. Costa Marques. Porto: Ed. Atlântida, 1961.

FRAILE, Guillermo. Historia della Filosofia. Vol.1. BAC - Madrid: L'Editorial Catolica S.A., 1965.

FRANC, Milo Ogden. Como apresentar as suas ideias em 30 segundos -ou menos. Yed. (How to get your point across in 30 seconds - or less) - Rio de Janeiro: Editora Record, 1996.

MAROUZEAU, J. Introduction au latin. Paris: "Les Belles Lettres", 1970.

VIEIRA, Pe. Antonio. Sermões. Rio de Janeiro: Livr. Agir Editora, 1963.

Downloads

Publicado

2001-12-01

Como Citar

Peterlini, A. A. (2001). A prosa latina clássica e a acribia na comunicação. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 13(13/14), 331–341. https://doi.org/10.24277/classica.v13i13/14.494

Edição

Seção

Artigos