"Noctem sideribus inlustrem...” (Tacite, Ann. XIV, 5, l). Quel est le sens exact de ce passage et qu’apporteil au récit de Ia mort d’Agrippine et a l’écriture de Tacite?

José Mambwini Kivuila-Kiaku

Resumo


Meditação sobre a tragédia humana, as narrativas tacitianas tendem não somente a ordenar e a expor os fatos mas tambám, e sobretudo, a sugerir planos de fundo psicológicos que se escondem por detrás da realidade sensível. Tacito – sabe-se – organiza suas narrativas com a finalidade de provocar na consciência de seu leitor uma série de emoções capazes de engendrar um estado de sensibilidade que o predispõe a compreender melhor as causas dos acontecimentos que Roma conheceu e que precipitaram sua decadência. Para atingir esse fim ele recorre a apresentação poética. Esta, ao mesmo tempo em que dá à narrativa de Tácito certa beleza, participa da estratégia de persuasão, tocando a imaginação dos leitores. Assim, a frase dos Anais XIV, 5, 1 e, sem dúvida, um exemplo entre tantos outros que mostram que, em Tácito, a poesia tem um conteúdo de pensamento que exprime ou aproxima a verdade histórica. E também um belo exemplo que, na literatura latina, mostra como é difícil a tarefa de um historiador pós-clássico, de unir a realidade histórica ao cuidado com o belo e ao respeito a complexidade dos acontecimentos históricos. Nas narrativas de Tácito, frequentemente marcada pela dimensão dramática, a apresentação poética dos acontecimentos entra na estratégia da persuasão que incita os leitores a melhor apreender o sentido oculto da história.


Palavras-chave


causalidade; textualidade narrativa; poética; beleza; narração.

Texto completo:

PDF (Français (France))

Referências


AUBRION, Etienne. L’eloquentia de Tacite et as fides d’historien. ANRW II, v. 33, n. 4, p. 2597-2688, 1991.

DEVILLERS, Olivier. Tacite, les sources et les impératifs de la narration: le récit de la mort d’Agrippine (Annales XIV, 1-13). Latomus, v. 54, p. 324-345, 1995.

DEVILLERS, Olivier. L’art de persuasion dans les Annales de Tacite. Bruxelles (Coll. Latomus 223), 1994.

DEVILLERS, Olivier. Rhétorique et histoire chez Tacite. Metz: 1985.

GRIMAL, P. Tacire. Paris: Fayard, 1990.

KIVUILA-KIAKU, J. Mambwini. Le ‘temps’ chez Tacite. Introduction a la reflexion sur la dimension philosophique de la notion du temps dans l’oeuvre historique de Tacite. Humanitas, v. 50, p. 9-111, 1998.

KIVUILA-KIAKU, J. Destin, liberté, necéssité et causalité chez Tacite ou la philosophie tacitéenne de la dignitas humana. A. C., v. 64, p.111-127, 1995.

KIVUILA-KIAKU, J. Causalité historique et philosophie de l’histoire chez Tacite. Latomus, v. 56, p. 829-846, 1997.

LUCAS, J. L’obsession de Tacite. Leiden: 1974

MICHEL, A. Tacire est le destin de 1’empire. Paris: 1966.

MONTELEONE. Un procedimento stilistico in Tacito. Annali, v.14, p. 8-9. RFIC 103, p. 302-306, 1973.

MONTELEONE. Alle radici di una “tragedia” tacitea. AFLB, v. 31, p. 91-113, 1988.

MULLER, Laurent. La mort d’Agrippine (Tacite, Annales, v. 14, p. l-13). Quelques elements tragiques de la composition du recit L.E.C., v. 62, p. 27-43, 1994.

SCOOT, R. D. The Death of Nero’s Mother. Latomus, v. 33, p. 105-115, 1974.




DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v11i11/12.467

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 José Mambwini Kivuila-Kiaku

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional