Do relacionamento entre Verdade e Retórica em Aristóteles

Maria de Fátima Simões Francisco

Resumo


Examinam-se no artigo duas passagens do início da Retórica de Aristóteles em que o autor, divergindo de Platão, enuncia a máxima utilidade dessa arte para a manifestação da verdade no tribunal e na assembleia. Alguns aspectos dessa verdade produzida retoricamente e do julgamento público, segundo a compreensão do filósofo, são apresentados.


Palavras-chave


retórica; verdade, julgamento público; investigação; persuasão pelos contrários; fundamentos da sociedade livre.

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTOTLE, Art of Rhetoric. Trad. J. H. Freese. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press; London: William Heinemann, 1975. [1. ed. 1926]. (Coleção Loeb Classical Library)

BODEÜS, Richard. Des raisons d’être d’une argumentation rhétorique selon Aristote. Cahiers du Département de Philosophie de I’Université de Montreal, n. 8804, p. 46-54, 1988.

GRIMALDI, William M. A. Aristotle, Rhetoric I, A Commentary. New York: Fordham University Press, 1980.

PLATON. Gorgias. Paris: Les Belles Lettres, 1935.




DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v11i11/12.465

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Maria de Fátima Simões Francisco

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional