Mimese de Conteúdo: iconicidade na poesia latina e sua traduzibilidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v30i1.421

Palavras-chave:

Ovídio, mimese de conteúdo, tradução poética, História da tradução.

Resumo

Neste artigo, apresentamos o uso expressivo da mimese de conteúdo em um trecho de Ovídio. Avaliamos diversas traduções poéticas do trecho para a língua portuguesa para verificar se os tradutores cuidaram da reprodução desse aspecto da poética latina, refletimos sobre as dificuldades que a mimese impõe para o tradutor lusófono e, por fim, oferecemos nossa tradução do trecho estudado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Willamy Fernandes Gonçalves, Universidade Federal do Ceará

Atuo na área de tradução de línguas clássicas (sobertudo latim), história da tradução e recepção dos clássicos. Membro do grupo de pesquisa CNPQ de tradução e recepção dos clássicos, coordenado pelo prof. dr. Robert de Bröse.

Referências

ALBERTO, Paulo Farmhouse. Introdução. In: OVÍDIO. Metamorfoses. Tradução de Paulo Farmhouse Alberto. Lisboa: Livros Cotovia, 2007, p. 11-32.

BENJAMIN, Walter. A tarefa do tradutor. Tradução Susana Kampff Lages. In: HEIDERMANN, Werner (org.). Clássicos da teoria da tradução. 2.ed. Revista e ampliada. Florianópolis: UFSC, 2001, p. 202-229.

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra ou O albergue do longínquo. Tradução de Marie-Hélène Catherine Torres, Mauri Furlan e Andreia Guerini. Rio de Janeiro: 7Letras, 2007.

BRITTO, Paulo Henriques. Correspondência formal e funcional em tradução poética. In: SOUZA, Marcelo, P.; et alii (org.). Sob o signo de Babel: literatura e poéticas da tradução. Vitória: Flor&Cultura, 2006.

CAMPOS, Haroldo de. Píndaro hoje. In: A arte no horizonte do provável. São Paulo: Perspectiva, 1977, p. 109-119.

CAMPOS, Haroldo de. A morte de Narciso. In: Crisantempo: no espaço curvo nasce um. São Paulo: Perspectiva, 2004, p. 210-213.

CAMPOS, Haroldo de. A ira de Aquiles: Canto I da Ilíada de Homero. São Paulo: Nova Alexandria, 1994.

CAMPOS, Haroldo de. Odorico Mendes: o patriarca da transcriação. In: HOMERO. Odisseia. Edição da tradução de Odorico Mendes preparada por Antônio Medina Rodrigues. São Paulo: Edusp, 1992.

CARVALHO, Raimundo Nonato Barbosa de. Metamorfoses em tradução. São Paulo: USP, 2010.

CASTILHO, António Feliciano de. Theatro de Molière, terceira tentativa - As sabichonas, comédia em 5 atos: versão libérrima. Lisboa: Typographia da Real Academia de Ciências de Lisboa, 1872.

FLORES, G. Gontijo (org. e trad.). Elegias de Sexto Propércio. Belo Horizonte: Ed. Autêntica, 2014.

GUERINI, Andreia; COSTA, Walter Carlos. Entrevista com João Angelo Oliva Neto. Cadernos de Tradução, v. 1, n. 25, p. 259-278, 2010.

HATHERLY, Ana. A experiência do prodígio. Bases teóricas e antologia de textos visuais portugueses dos séculos XVII e XVIII. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1983.

HATHERLY, Ana. Visualidade do texto. Uma tendência universalista da poesia portuguesa. Revista Colóquio/Letras, n. 35, p. 5-17, 1977.

HEIDERMANN, Werner (org.). Clássicos da teoria da tradução. 2.ed. Revista e ampliada. Florianópolis: UFSC, 2001.

HOMERO. Ilíada. Tradução de Frederico Lourenço. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

HOMERO. Odisseia. Tradução de Frederico Lourenço. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

LUCRÉCIO. Da Natureza das Coisas. Tradução de Luís Manuel Gaspar Cerqueira. Lisboa: Relógio d’água, 2015.

MARTINS, Maria Helena Aguiar. A elocução do amor em Tibulo. Dissertação (Mestrado em Literatura Comparada) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

OVÍDIO. Amores & Arte de Amar. Tradução, introduções e notas de Carlos Ascenso André; Prefácio e apêndices de Peter Green. São Paulo: Penguin-Companhia das Letras, 2011.

OVÍDIO. Os quatro primeiros livros da Metamorphose, de P. Ovidio Nasaõ, poeta romano. Traduzidos em verso solto portuguez por Almeno. Lisboa: Typografia Lacerdina, 1805.

OVÍDIO. As Metamorphóses de Publio Ovidio Nasão. Poema em quinze livros vertido em portuguez por Antonio Feliciano de Castilho. Lisboa: Imprensa Nacional, 1841.

OVÍDIO. Metamorfoses. Tradução de David Gomes Jardim Jr. Rio de Janeiro: Ediouro, 1983.

OVÍDIO. Metamorfoses. Tradução de Paulo Farmhouse Alberto. Lisboa: Livros Cotovia, 2007.

OVÍDIO. Os Fastos. Introdução, tradução e notas de Márcio Meirelles Gouvêa Jr. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

PREDEBON, Aristóteles Angheben. Edição do manuscrito e estudo das Metamorfoses de Ovídio traduzidas por Francisco José Freire. Tese (Doutorado em Letras Clássicas) - Programa de Pós-Graduação em Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

ROSENFELD, Anatole; GUINSBURG, J. Romantismo e Classicismo. In: GUINSBURG, J. (org). O Romantismo. 2.ed. São Paulo: Perspectiva, 1985.

SCHLEIERMACHER, Friedrich. Sobre os diferentes métodos de tradução. Tradução de Celso R. Braida. In: HEIDERMANN, Werner (org.) Clássicos da teoria da tradução. 2. ed. revista e ampliada. Florianópolis: UFSC, 2001, p. 38-101.

THOMAS, Rosalind. Letramento e oralidade na Grécia Antiga. Tradução de Raul Fiker. São Paulo: Odysseus, 2005.

VASCONCELLOS, Paulo Sérgio. A tradução poética e os Estudos Clássicos no Brasil hoje: algumas considerações. Scientia Traductionis, n.10, p.68-79, 2011.

VIRGILE. L’Énéide. Texte établi par Henri Goelzer et traduit par André Bellessort. Paris: Belles Lettres, 1961.

Downloads

Publicado

17-10-2017

Como Citar

Gonçalves, W. F. (2017). Mimese de Conteúdo: iconicidade na poesia latina e sua traduzibilidade. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 30(1), 63–84. https://doi.org/10.24277/classica.v30i1.421

Edição

Seção

Artigos