O Bellum Civile de Lucano sob o viés da intertextualidade

Aécio Flávio de Carvalho

Resumo


Não obstante o consenso de que no Bellum Civile ou Farsália os recursos poéticos sejam abundantes e dotados do sentido do "pitoresco", aproximação entre o seu autor e o poeta da Eneida é recorrente; busca-se, então, mostrar quanto o primeiro deve ao segundo, pontuando-se versos virgilianos que teriam servido a Lucano como fonte de expressão ou de idéias. Nas presentes considerações, procura-se demonstrar que não é servil o comportamento de Lucano; sem negar a extraordinária ascendência épica de Virgílio, intenta-se firmar Lucano como autor capaz de extrair um efeito diferenciado dos versos virgilianos dos quais se serve, fazendo uso inteligente da intertextualidade para sobrelevar seus objetivos e garantir a efetividade estética ao poema Bellum Civile.

Palavras-chave


Farsália; Lucano; Virgílio; intertextualidade; poema.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. A estética da criação verbal. Trad. do francês por Maria E. G. Gomes Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

CONTE, Gian Biagio. La guerra civile di Lucano; studi e prove di commento. Urbino: Quatroventi, 1988.

HAUSER, A. A história social da literature e da arte. Trad. Do original inglês por Walter H. Geenen. São Paulo: Mestre Jou, 1982. Tomo I.

ISER, Wolfgang. O ato da leitura. Trad. Joahannes Kretschmer. São Paulo: Editora 34, 1996. v. I.

LUCAIN. La guerre civile (La Pharsale). Texte établi et traduit par A. Bourgery. Paris: Les Belles Lettres, 1976. tomes I et II.

MARTI, Berthe M. La structure de la Pharsale. In: Lucain, sept exposés suivis de discussions. Entretiens sur I'Ántiquité Classique, tome XV. Vendoeuvres-Geneve: Fondation Hardt, 1968. p. 1-39.

NARDUCCI, Emanuele. La Providenza crudele - Lucanno e la distruzione dei mitti augustei. Pisa: Giardini Editori e Stampatori, 1970.

SPINA, Sigismundo. Introdução à poética clássica. São Paulo: FTD, 1967.

VACCA. Vitae Lucani. In: Lucain. La guerre civile (La Pharsale). Texte établi et traduit par A. Bourgery. Paris: Les Belles Lettres, 1976. tomes I et II.

VIRGÍLIO. Eneida. Tradução e notas de Tassilo Orpheu Spalding. São Paulo: Cultrix, 1999.

VIRIGILE. Oeuvres, par F. Plessis et P. Lejay. Paris: Hachette, 1919.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Aécio Flávio de Carvalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional