Um exemplo de ironia socrática no Íon de Platão

Teodoro Rennó Assunção

Resumo


A partir da informação básica sobre a história do conceito de “ironia”, assim como da definição de “ironia socrática” por Gregory Vlastos em seu conhecido artigo “Socratic Irony”, este nosso breve artigo visa a fazer simplesmente um teste da proposição de G. Vlastos através de um estudo de caso da ironia socrática, comentando o seu exemplo mais importante em um diálogo menor de Platão: o Íon.

Palavras-chave


ironia; ironia socrática; Vlastos; exemplo; Íon de Platão.

Texto completo:

PDF

Referências


Textos antigos (edições e traduções)

ARISTÓTELES. Poética. Tradução, prefácio, introdução, comentário e apêndices de Eudoro de Souza. 6. ed. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2000. [1ª edição, 1966].

ARISTOTELIS De arte poetica liber. Recognovit brevique adnotatione critica instruxit Rudolfus Kassel. Oxford: Oxford University Press, 1965. (Col. Oxford Classical Texts).

ARISTOTLE. Nicomachean Ethics. Translated by H. Rackham. Cambridge, Massachusetts/London: Harvard University Press, 1982 [1ª edição, 1926]. (Col. The Loeb Classical Library).

ARISTOTLE. Problems II, XXII-XXXVIII; Rhetorica ad Alexandrum. Translated by W. S. Hett and H. Rackham. Cambridge, Massachusetts/London: Harvard University Press, 1965 [1ª edição, 1937]. (Col. The Loeb Classical Library).

PLATÃO. Sobre a inspiração poética (Íon) & Sobre a mentira (Hípias Menor). Introdução, tradução e notas de André Malta. Porto Alegre: L&PM, 2007.

PLATO. On Poetry: Ion, Republic 376e–398b, Republic 595–608b. Edited by Penelope Murray. Cambridge: Cambridge University Press, 1997. (Col. Cambridge Greek and Latin Classics).

PLATO. The Statesman – Philebus. Translation by Harold N. Fowler; Ion. Translation by W. R. M. Lamb. Cambridge, Massachusetts/London: Harvard University Press, 1995. [1ª edição, 1925]. (Col. The Loeb Classical Library).

PLATON. Oeuvres complètes tome V, 1ère partie : Ion – Ménexène – Euthydème. Texte établi et traduit par Louis Méridier. Paris: Les Belles Lettres, 1989, Septième tirage. [1ª edição, 1931].

PLATON. Ion. Traduction, introduction et notes par Monique Canto. Paris: Flammarion, 1989.

TRATTATISTI GRECI: TEOFRASTO. Caratteri (a cura di Massimo Vilardo); ANONIMO, Il Sublime (a cura di Giulio Guidorizzi); GALENO, Sulle facoltà naturali (a cura di Marzia Montarino). Milano: Mondadori, 2008. (Col. I Classici).

Textos modernos

BUFFIÈRE, F. Deuxième partie, chapitre IV: L’exégèse allégorique avant les Stoïciens. In: ______. Les mythes d’Homère et la pensée grecque. Paris: Les Belles Lettres, 1956. p. 123-136.

LABARBE, J. Chapitre II – L’Ion. In: ______. L’Homère de Platon. Paris: Les Belles Lettres, 1949. p. 88-136.

NAGY, G. Homer and Plato at the Panathenaia. In: ______. Plato’s Rhapsody and Homer’s Music. Washington: Center of Hellenic Studies – Cambridge Mass.: Harvard University Press, 2002. p. 9-35.

RANTA, J. The Drama of Plato’s ‘Ion’. Journal of Aesthetics and Art Criticism, v. 26, p. 219-229, 1967-1968.

RICHARDSON, N. J. Homeric professors in the age of sophists. Proceedings of the Cambridge Philological Society, n. 201, p. 65-81, 1975.

VLASTOS, G. Socratic Irony. Classical Quaterly, v. 37, p. 79-86, 1987.




DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v28i2.370

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Teodoro Rennó Assunção

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional