Refutação da refutação: revivendo o élenkhos socrático

George Matias de Almeida Jr.

Resumo


Vamos apresentar a concepção de refutação socrática formulada por Gregory Vlastos, a partir da visão derradeira do autor sobre o tradicional problema do elenchus, elaborada no artigo: “The socratic elenchus: method is all” (1994). Para enriquecer nosso trabalho, vamos contrastar as posições gerais de Vlastos com uma crítica contumaz dirigida a elas por Monique Dixsaut no artigo “Refutation et dialectique” (2012), no qual a autora pretende elaborar uma outra visão sobre o elenchus. Para balizar nossas considerações, tomaremos as refutações no Górgias de Platão, com o objetivo de avaliar qual dos dois modelos, o de Vlastos ou o de Dixsaut, se aproxima mais da noção de elenchus presente no referido diálogo platônico.

Palavras-chave


refutação; contradição; necessidade; possibilidade; alteridade.

Texto completo:

PDF

Referências


TEXTOS ANTIGOS

ARISTÓTELES, Tópicos. Dos Argumentos Sofísticos. Seleção J. A. M. Pessanha Tradução L. Vallandro; G. Bornheim. Col.: “Os pensadores”. São Paulo: Abril Cultural, 1983. (1ª ed.: 1978)

PLATÃO, A República. Introdução tradução e notas de M. H. R. Pereira. Lisboa, Fundação Calouste Gulbelkian, 1980.

PLATÃO, O Banquete, ou, Do amor. Introdução tradução e notas de J. Cavalcante de Souza. Col.: “Pequena Biblioteca Difel, textos clássicos Greco-latinos”. São Paulo: Difel, 1970.

PLATÃO, Mênon. Introdução tradução e notas de M. Iglésias. Col.: “Bibliotheca Antiqua” v.1. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; Loyola, 2001.

PLATÃO, Carta VII. Introdução de T. H. Irwin. Tradução e notas de J. G. Trindade Santos e J. Maia Jr.. Col.: “Bibliotheca Antiqua”. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; Loyola, 2008.

PLATO, Gorgias. A revised text with introduction and commentary by E. Dodds. Oxford: Clarendon Press, 1990. (1ª ed.: 1959)

PLATON, Gorgias. Introduction traduction et notes par M. Canto-Sperber. Paris: GF Flammarion, 1993.

PLATON, Apologie de Socrate/ Criton. Introduction traduction et notes par L. Brisson. Paris: GF Flammarion, 1997.

PLATON, Phèdre. Introduction traduction et notes par L. Brisson. Suivi de La Pharmacie de Platon de J. Derrida. Paris: GF Flammarion, 2000.

PLATON, Diálogos V. Parménides, Teeteto, Sofista, Político. Traducción y notas por N. L. Cordero [et. al.]. Col.: “Biblioteca Clásica Gredos”, v. 117. Madrid: Gredos, 1992.

Textos modernos:

ALLEN, R., “The Socratic Paradox”, Journal of the History of Ideas 21, n. 2, 1960, pp. 256-265.

ANNAS, J., “What are Plato’s “Middle dialogues” in the middle of?” In: J. ANNAS and C. ROWE, (eds.). New perspectives on Plato, modern and ancient. Rev. proceedings of a colloquium held in Aug. 1999 at the Center for Hellenic Studies, Washington, D.C. Cambridge: Center for Hellenic Studies, 2002, pp. 1-23.

CAMBIANO, G., “Remarques sur Platon et la technè”, Revue Philosophique de la France et de l´étranger 4, 1991, pp. 407-416.

DIXSAUT, M., “Refutação e dialética”, in: M. P. MARQUES (org.), “Refutação”. Col. “Contraposições: diálogos filosóficos”. Introdução e tradução de J. S. Mafra. Belo Horizonte: Paulus, 2012, pp. 55-86.

HANKINS, J., “Socrates in the Italian Renaissance”, in: M. TRAPP (ed.), Socrates from antiquity to the enlightenment. Col.: “Publications for the Centre for Hellenistic Studies, King´s College London”, v. 9. London: Ashgate, 2007, pp. 179-208.

KAHN, C., “Did Plato write Socratic dialogues ?”, Classical Quarterly 31, n. 2, 1981, pp. 305-320.

KAHN, C., “Drama and dialectic in Plato´s Gorgias”, Oxford Studies in Ancient philosophy 1,1983, pp. 75-121.

KLOSKO, G., “The insufficiency of Reason in Plato´s Gorgias”, The Western Political Quarterly 36, n. 4, 1983, pp. 579-595.

ROBINSON, R., “Plato´s consciousness of fallacy”, Mind 51, n. 202, 1942, pp. 97-114.

ROBINSON, R., Plato´s earlier dialectic. Oxford: Oxford University Press: 1953. (1ª ed.: 1942)

SANTAS, G. “The Socratic Paradoxes”, The Philosophical Review 73, n. 2, 1964, pp. 147-164.

SEGAL, C., “Gorgias and the psychology of the Logos”, Harvard Studies in Classical Philology 66, 1962, pp. 99-155.

SEGVIC, H., “No one errs willingly: the meaning of the Socratic intellectualism”, Oxford Studies in Ancient Philosophy 19, v. 1, 2000, pp. 1-45.

VASILIOU, I., “Disputing Socratic Principles: Character and Argument in the “Polus Episode” of the Gorgias”, Archiv für Geschichte der Philosophie 84, 2002, pp. 245–272.

VLASTOS, G., “The Socratic Elenchus”, Oxford Studies in Ancient Philosophy 1, 1983, pp. 27-58.

VLASTOS, G., “Socrates contra Socrates in Plato”, in: id. Socrates: Ironist and moral philosopher. Col.: “Cornell Studies in Classical Philosophy”, v. 50. Ithaca/New York: Cornell University Press: 1991, pp. 45-80.

VLASTOS, G., “The Socratic Elenchus: method is all”, in: M. BURNYEAT (ed.), Socratic Studies. Cambridge: Cambridge University Press: 1994, pp. 1-37.

VLASTOS, G., “Epilogue: Socrates and Vietnam”, in: M. BURNYEAT (ed.), Socratic Studies. Cambridge: Cambridge University Press: 1994, pp. 127-133.




DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v28i2.367

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 George Matias de Almeida Jr.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional