Assurbanipal e suas memórias: uma autobiografia na Antiguidade?

Katia Maria Paim Pozzer

Resumo


Neste artigo propomos uma reflexão sobre o conceito de memória, sua interseção com as narrativas oficiais   da corte assíria e a relação entre memória e identidade. No mundo antigo oriental o gênero autobiográfico, entendido como uma interpretação retrospectiva da própria vida, não existiu, porém muitos soberanos nos legaram extensos documentos que contém narrativas de cunho biográfico. As inscrições reais mesopotâmicas, que tipicamente são de caráter comemorativo de conquistas do rei ou crônicas de campanhas militares, falam da carreira e de cenas da vida e, de algum modo, podem ser   entendidas como documentos autobiográficos.  


Palavras-chave


Memória; autobiografia; narrativa; identidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v27i2.312

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Katia Maria Paim Pozzer

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional