Imperialismo macedônio e colonialismo francês: o mundo helenístico de Pierre Jouguet

Autores

  • Thiago do Amaral Biazotto Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v30i1.304

Palavras-chave:

Pierre Jouguet (1896-1949), helenismo, Historiografia.

Resumo

O helenista francês Pierre Jouguet (1896 – 1949) publicou seu estudo sobre Alexandre Magno e o Mundo Helenístico em 1926. De título L’impérialisme macédonien et l’hellénisation de l’Orient, a obra carrega matizes imperialistas modernos, presentes, em especial, quando Jouguet aborda os contatos culturais entre grego-macedônios e autóctones, limitados, em seu entendimento, a uma inconteste helenização dos últimos. Desta forma, este artigo discutirá a possibilidade de Jouguet projetar os anseios imperialistas da França moderna para o Mundo Antigo, notadamente quando são discutidas as relações culturais e o protagonismo das cidades gregas em sua obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALCOCK, S. Breaking up the Hellenistic world: survey and society. In: MORRIS, I. Classical Greece: ancient histories and modern archaeologies. New York: Cambridge University Press, 1994, p. 171- 190.

ALENCASTRO, L. Persistência das Trevas. In: CONRAD, J. Coração das trevas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ARENDT, H. As origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

BAGNALL, R. Decolonizing Ptolemaic Egypt. In: CARTLEDGE, P.; GARNSEY, P.; GRUEN, P. (org.). Hellenistic constructs: essays in culture, history, and historiography. Berkeley: University of California Press, 1997.

BAKOS, M. Visões modernas sobre o mundo Antigo: a Egiptologia. In: FUNARI, P. P. A.; SILVA, G.; MARTINS, A. (org.). História antiga: contribuições brasileiras. São Paulo: Annablume, 2008.

BELL, H. Hellenic Culture in Egypt. The Journal of Egyptian Archaeology, vol. 8, n.3-4, p. 139-155, 1922.

BERNAL, M. A imagem da Grécia Antiga como uma ferramenta para o colonialismo e para a hegemonia européia. Textos Didáticos – Repensando o Mundo Antigo. IFCH/UNICAMP, n. 49, p. 13-31, abril 2005.

BERNAL, M. Black Athena: the Afroasiatic roots of classical civilization. London: FAB, 1987.

CONRAD, J. Coração das trevas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. São Paulo: Forense Universitária, 2014.

FUNARI, P. P. A. Retórica e argumentação, do mundo clássico ao nosso quotidiano. História e-História, p. 1-4, 2004.

FUNARI, P. P. A. A renovação no ensino de História Antiga. In: KARNAL, L. (org.) História na sala na aula. São Paulo: Contexto, p. 95-107, 2003.

FUNARI, P. P. A. Doxa e Episteme: a construção discursiva na narrativa histórica (ou Salústio e a Historiografia). Revista de História (UFOP), v. 3, p. 22-35, 1992.

HAMMOND, M. Ancient Imperialism: Contemporary Justifications. Harvard Studies in Classical Philology, vol. 58-59, p. 105-161, 1948.

HINGLEY, R. O imperialismo romano: novas perspectivas a partir da Bretanha. São Paulo: Annablume, 2010.

HOBSBAWM, E. A era dos impérios, 1875-1914. Tradução de Sieni Maria Campos e Yolanda Steidel de Toledo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

JOUGUET, P. El imperialismo macedonico y la helenización del oriente. Traducción del F. L. de la Vallina y Argüelles. Barcelona: Cervantes, 1927.

MERLIN, A. Notice sur la vie et les travaux de M. Pierre Jouguet, membre de l’Académie. Comptes rendus des séances de l’Académie des Inscriptions et Belles-Lettres, Année 1950, vol. 94, n. 4, p. 392-406.

MORRIS, I. Introduction. In: MORRIS, I. Classical Greece: Ancient Histories and Modern Archaeologies. New York: Cambridge University Press, 1994, p. 7-44.

PEREMANS, W. Pierre Jouguet (1869-1949). Revue Belge de Philologie et d’Historie, tome 28, fasc 3-4, p. 1576-1577, 1950.

PERROT, M. Outrora, em outro lugar. In: PERROT, M. (org.) História da Vida Privada 4: da Revolução Francesa à Primeira Guerra. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PINTO, R. Duas Rainhas, um Príncipe e um Eunuco: gênero, sexualidade e as ideologias do masculino e feminino nos estudos sobre a Bretanha Romana. Tese (Doutorado em História), Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

PRICE, S. The History of the Hellenistic Period. In: BOARDMAN, J.; JASPER, J.; MYRRAY, O. The Oxford History of Greece and the Hellenistic World. Oxford: Oxford University Press, 2001.

ROSTOVTZEFF, M. The Social & Economic History of the Hellenistic World. Oxford: Clarendon Press, 1941.

SAID, E. Cultura e imperialismo. Tradução de Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SILVA, G. História Antiga e usos do passado: um estudo das apropriações sob o regime de Vichy (1940-1944). São Paulo: Annablume-Fapesp, 2007.

SILVA, T. O Orientalismo e o Helenismo: O Egito Antigo e o gênero no mito da civilização. Anais do I Congresso Internacional de religião, mito e magia no Mundo Antigo & IX Fórum de debates em História Antiga. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

SINGER, B. Lyautey: An Interpretation of the Man and French Imperialism. Journal of Contemporary History, vol. 26, n. 1, p. 131-157, 1991.

VIDAL-NAQUET, P. Os gregos, os historiadores, a democracia: o grande desvio. Tradução de Jônatas Batista Neto. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

ZEILLER, J. Éloge funèbre de M. Pierre Jouguet, membre de l’Académie. Comptes rendus des séances de l’Académie des Inscriptions et Belles-Lettres, Année 94, n. 4, p. 213-219, 1949.

Downloads

Publicado

17-10-2017

Como Citar

Biazotto, T. do A. (2017). Imperialismo macedônio e colonialismo francês: o mundo helenístico de Pierre Jouguet. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 30(1), 139–156. https://doi.org/10.24277/classica.v30i1.304

Edição

Seção

Artigos