Das especulações “etimológicas” antigas: as contribuições de Platão e Varrão

Autores

  • Matheus Trevizam

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v15i15/16.277

Resumo

Neste artigo, apresentamos resumidamente as visões de Platão (Crátilo) e Varrão reatino (De lingua Latina) sobre a etimologia, buscando alcançar as especificidades de seu pensamento sobre o tema. Como se sabe, a etimologia antiga, nascida no âmbito filosófico entre os gregos e latinos, não se pautava pelos mesmos princípios e não se destinava aos mesmos objetivos que esse campo do saber linguístico assumiu em nossos dias. Assim, buscamos oferecer aqui uma visão não anacrónica da posição dos autores citados, enfatizando a necessidade da mudança de parâmetros para a correta apreciação do significado das investigações etimológicas no passado e no presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

GOLDSCHMIDT, V. Essai sur le “Cratyle”: contribution à l’histoire de la pensée de Platon. Paris: Librairie Philosophique J. Vrin, 1982.

LYONS, J. Introduction to theoretical linguistics. Cambridge: University Press, 1968.

PEREIRA, M. A. Quintiliano gramático: o papel do mestre de gramática na “Institutio oratoria”. São Paulo: Humanitas, 2000.

PLATON. Cratyle. Texte établi et traduit par L. Méridier. Paris: Les Belles Lettres, 1931.

ROBINS, R. H. Breve historia de la linguística. Traducido por Enrique Alcaraz Varo. Madrid: Paraninfo, 1980.

SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. Tradução de A. Chelini et alii. São Paulo: Cultrix, 1995.

VARRÓN. De lingua Latina. Introducción, traducción y notas de Manuel-Antonio Marcos Casquero. Barcelona: Editorial Anthropos, 1990.

Downloads

Publicado

2003-11-26

Como Citar

Trevizam, M. (2003). Das especulações “etimológicas” antigas: as contribuições de Platão e Varrão. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 15(15/16), 179–188. https://doi.org/10.24277/classica.v15i15/16.277

Edição

Seção

Artigos