Cultura popular: as inscrições amorosas da Pompéia Romana

Autores

  • Lourdes Feitosa

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v15i15/16.276

Resumo

Neste artigo discute-se o significado do conceito de cultura e como diversas experiências culturais são construídas no interior de cada sociedade. Para o estudo da Antiguidade romana, as inscrições parietais significam importantes fontes para a reflexão sobre a cultura popular, particularmente de Pompéia. Por meio da análise de alguns grafites, questiona-se a idéia de absorção cultural e como as representações passam pelo crivo e valor popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lourdes Feitosa

Referências

ARANTES, A. A. O que é cultura popular. São Paulo: Brasiliense, 1995.

BODEL, J. (Ed.). Epigraphic Evidence. Ancient history from inscriptions. London; New York: Routledge, 2001.

BURKE, P. Cultura popular na Idade Moderna. Tradução de Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

CARTELLE, E. M. Priapeos; grafitos amatorios Pompeyanos; la vaiada de la fiesta de Venus; el concúbito de Marte y Venus; centón nupcial. Madrid: Biblioteca Clásica Gredos, 1981.

CIL - Corpus Inscriptionum Latinarum. v. IV. Berlim: Akadem ie Verlag, desde 1863.

CORBIER, P. L’epigraphie latine. Paris: Sedes, 1998.

DAVIS, N. Culturas do povo. Sociedade e cultura no início da França moderna. Tradução de Mariza Corrêa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

DE CAROLIS, E. Dei ed eroi nella pittura pompeiana. Roma: L’Erma, 2000.

DE CERTEAU, M. A cultura no plural. Tradução de Enid A. Dobránszky. Campinas: Papirus, 1995. Publicação francesa de 1973.

DE CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

DE ROBERTIS, F. M. Storia sociale di Roma. Le classi inferiori. Roma: L’Erma, 1981.

DELLA CORTE, M. Case ed abitanti di Pompei. Roma: L’Erma, 1954.

ERNOUT, A. Dictionnaire Étymologique de la Langue Latine. Paris: Livraria C. Klicksieck, 1967.

ETIENNE, R. La vida cotidiana em Pompeya. Tradución de Jose A. Miguel. Madrid: Aguilar, 1971. (Publicação francesa de 1967)

FERREIRA, A. G. Dicionário de Latim - Português. Portugal: Porto, s/d.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Tradução de Laura F. Sampaio. São Paulo: Loyola, 1996.

FRANKLIN, Jr. J. L. Pompeis difficile est. Studies in the political life of Imperial Pompeii. Michigan: Ann Arbor, 2001.

FUNARI, P. P. A. Cultura(s) dominante(s) e cultura(s) subalterna(s) em Pompéia: da vertical da cidade ao horizonte do possível. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 7, n. 13, p. 33-48, set. 1986-fev. 1987.

FUNARI, P. P. A. El caráter popular de la caricatura pompeyana. Gerión, Madrid, n. 11, p. 153-73, 1993.

FUNARI, P. P. A.; HALL, M.; JONES, S. Historical Archaeology. Back from the edge. London; New York: Routledge, 1999.

FUNARI, P. R. A. Cultura popular na Antiguidade clássica. São Paulo: Contexto, 1989.

GIGANTE, M. Civilità delle forme letterarie nell’antica Pompei. Roma: Bibliopolis, 1979.

GINZBURG, C. O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela Inquisição. Tradução de Betânia Amoroso. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

GUARINELLO, N. L. Análise espacial de um edifício rural de época romana – a Villa da localidade de Setti Termini no ager pompeianus. Dédalo, n. 24, p. 207-34, 1985.

HORSFALL, N. La cultura della plebs romana. Barcelona: PPU, 1996.

IRELAND, R. Epigraphy. In: HENIG, M. (Ed.). A handbook of Roman Art. Ithaca; New York: Cornell University Press, 1983. p. 220-233

JONES, S. The Archaeology of Ethnicity. Constructing identities in the past and present. London: Routledge, 1997.

KEPPIE, L. Understanding Roman inscriptions. Baltimore: John Hopkins University Press, 1991.

LAURENCE, R. Roman Pompeii. Space and society. London: Routledge, 1994.

MEZHUIEV, V. La cultura y la Historia. Moscou: Progresso, 1980.

SCHIAVITU, manumissione e classi dipendenti nel mondo antico. Atti del Colloquio Internazionale su la Schiavitu. Roma: L’Erma, 1981.

TANZER, H. H. The common people of Pompei. A study of the graffiti. Baltimore: The Johns Hopkins Press, 1939.

VÄÄNÄNEN, V. Le latin vulgaire des inscriptions pompéienes. Helsinki: Annales Academiae Scientiarum Fennicae, 1937.

VARONE, A. Erótica pompeiana. Iscrizioni d’amore sui muri di Pompei. Roma: L’Erma, 1994.

Downloads

Publicado

2003-11-26

Como Citar

Feitosa, L. (2003). Cultura popular: as inscrições amorosas da Pompéia Romana. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 15(15/16), 165–175. https://doi.org/10.24277/classica.v15i15/16.276

Edição

Seção

Artigos