A phýsis no Corpus hippocraticum: proposta de dois temas para o mesmo objeto

Autores

  • Henrique F. Cairus UFRJ
  • Julieta Alsina Doutoranda do PPGLC-USP

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v28i1.258

Palavras-chave:

natureza, medicina grega, retórica

Resumo

O conceito de phýsis no Corpus hippocraticum parece ter dois níveis: um mais e outro menos específico. Nas passagens em que o termo phýsis não apresenta qualquer determinante ou adendo, o conceito é menos específico. Ele é mais específico, no entanto, quando o termo leva consigo adjuntos como “do homem”, “da criança”, “da mulher”, etc. Apesar de parecer esta uma questão dicotômica, há razões para crer que ela possui maior complexidade. Isto nos motivou a apresentar algumas questões que expõem um espectro bem mais amplo do conceito de phýsis, em detrimento da mera abordagem binária. Para além da complexidade conceitual que ronda a ideia de phýsis, o artigo leva em conta ainda o nível discursivo (talvez mesmo retórico). Neste âmbito, o conceito de phýsis é problematizado a partir da fricção entre enunciação e enunciado. Abstract The concept of phýsis in the Hippocratic corpus seems to have two levels: one of them more and the other less specific. In the passages in which the term phýsis does not show any determiner or addition, the concept is less specific. It is more specific, however, when the term take complements as “of man”, “of child”, “of women” etc. Though it seems a dichotomic issue, there are reasons to believe that it bears more complexity. It has instigated us to present some issues that expose a much wider spectrum of the concept of phýsis rather than the binary account. Beyond the conceptual complexity which surrounds the idea of phýsis, this article considers the discursive (perhaps even rhetoric) level. In this account, the concept of phýsis is examined out of friction between enunciation and enunciated.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique F. Cairus, UFRJ

Cursou: Graduação em Letras (Português e Grego) na Universidade Federal do Rio de Janeiro, Graduação em Letras (Português e Literaturas Vernáculas) na Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mestrado em Letras Clássicas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994) e o Doutorado em Letras Clássicas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999). Foi Presidente da Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos (Biênio 2010-2011). Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro e desenvolve pesquisa de pós-doutorado junto ao Programa de Pós-Graduação em Letras Clássicas da Universidade de São Paulo (USP). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Línguas Clássicas, atuando principalmente nos seguintes temas: história das idéias médicas, literatura grega clássica, Corpus hippocraticum, língua grega e tragédia grega.

Julieta Alsina, Doutoranda do PPGLC-USP

Bacharel em Letras (Português-Grego) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Mestre em Letras Clássicas no PPGLC-UFRJ. Doutoranda em Letras Clássicas no PPGLC-USP. Membro discente do PROAERA (Programa de Altos Estudos em Representações da Antiguidade) e bolsista da CAPES.

Downloads

Publicado

08-07-2015

Como Citar

Cairus, H. F., & Alsina, J. (2015). A phýsis no Corpus hippocraticum: proposta de dois temas para o mesmo objeto. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 28(1), 73–93. https://doi.org/10.24277/classica.v28i1.258

Edição

Seção

Artigos