Arqueologia e documentos escritos: relação contingente, ou conceitual e interpretativa

Autores

  • Pedro Luís Machado Sanches Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.14195/2176-6436_21-1_2

Palavras-chave:

Arqueologia, documentos escritos, Mundo Antigo, publicações arqueológicas, conceituação e teoria interpretativa.

Resumo

A multiplicação de correntes interpretativas em arqueologia não parece ter abalado a bipartição entre arqueologia histórica e pré-histórica. A consideração de textos, ou de objetos e monumentos portadores de texto, segue sendo apenas o mais evidente sintoma da disparidade entre os estudos arqueológicos de sociedades que praticaram ou tiveram contato com a escrita (os estudos clássicos fornecem os exemplos mais notáveis) e os demais estudos arqueológicos. Diferentes gêneros de publicações acadêmicas apresentam estas disparidades de modos também diferentes e, por vezes, divergentes. O estudo que ora se apresenta tenta ser uma revalorização das publicações acerca de material específico ou de circunstâncias de achado específicas da arqueologia clássica como legítimos lugares de conceituação arqueológica e teorização em sentido amplo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Luís Machado Sanches, Universidade Federal de Pelotas

Doutorando da Universidade de São Paulo,

Referências

BAHN, Paul; RENFREW, Colin. Archaeology, Theories, Methods and Practice. London, Thames and Hudson, 1991.

BAHN, Paul; RENFREW, Colin. Arqueologia – teoría, métodos y práctica. Madrid: Akal, 1998.

BAILLY, M. A. Abrégé du Dictionnaire Grec-Français. Paris: Hachette, 1901.

BIERS, W. R. Art, artefacts, and chronology in classical archeology. London; N. Y.: Routledge, 1998.

BINFORD, L. Em busca do passado – a decodificação do registro arqueológico. Lisboa: Publicações Europa-América, 1991.

BRUNNEAU, P. Fontes textuais e vestígios materiais: reflexões sobre interpretação arqueológica. In: SARIAN, H. (Comp.). Arqueologia: reflexão e discurso. Inédito.

BRUNNEAU, Phillipe. Situation Méthodologique de L’Histoire de L’Art Antique. AC, n. 44, p. 425-487, 1975.

CLARKE, David. Analytical Archaeology. London: Methuen, 1968.

COURBIN, P. Qu’estce que l’Archeologie? Paris: Payot, 1982.

DAUX, Georges. Chronique des fouilles et découvertes archéologiques en Grèce en 1960. BCH, n. 85, p. 601-953, 1961.

FERREIRA, L. Menezes. Patrimônio, Pós-colonialismo e repatriação arqueológica. Ponta de Lança, São Cristóvão, v. 1, n. 2, p. 37-62, abr.-out. 2008.

FRANCISCO, G. Grafismos Gregos: Escrita e Figuração na Cerâmica Ática do Período Arcaico. São Paulo: Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, 2008.

FUNARI, P. P. A. Arqueologia. São Paulo: Ática, 1988.

FUNARI, P. P. A. Introdução à Arqueologia Histórica de Orser Jr., Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1992.

FUNARI, P. P. A. Lingüística e Arqueologia. In: ______. (Ed.) Arqueologia e Patrimônio. Erechim: Habilis, 2007. p. 9-26.

GALLAY, L’Archéologie Demain. Paris, 1986.

GUARINELLO, Norberto L. Archeology and the Meaning of Material Culture. In: FUNARI, P. P.; STOVEL, E.; ZARANKIN, A. (Ed.). Global Archaeology Theory – Contextual Voices and Contemporary Thoughts. Boston; N. York; Dordrecht; London; Moscow: Kluwer/Plenum, 2005.

HODDER, Ian; HUTSON, Scott. Reading the Past – current approaches to interpretation in archaeology. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

KUHN, Thomas. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 2007.

LEMERLE, Paul. Chronique des fouilles et découvertes archéologiques dans l'Orient hellénique en 1934. BCH, n. 59, p. 234-309, 1935.

MOBERG, Carl-Axel. Introdução à arqueologia. Lisboa: Edições 70, 1986.

SARIAN, H. A cerâmica como documento arqueológico. Revista de Pré-História, São Paulo, Universidade de São Paulo, n. 6, p. 203, 1984b.

SARIAN, H. A ilha de Renéia (Ciclades, Grécia) – Arqueologia – Topografia – História. Revista de Pré-História, São Paulo, Universidade de São Paulo, n. 6, p. 270-280, 1984a. BRUNNEAU, Philippe; DUCAT, Jean (Org.). Guide de Délos. Édition refondue et mise à jour avec le concours de M. Brunet, A. Farnoux et J-C. Moretti. Paris: École Française d’Athènes; De Boccard, 2005.

UFFORD, L. B-Q. La chronologie de L’art grec de 475-425 av. J. Chr. Mnemosyne, v. 4, n. III, p. 183-214, 1950.

Downloads

Publicado

2008-07-30

Como Citar

Sanches, P. L. M. (2008). Arqueologia e documentos escritos: relação contingente, ou conceitual e interpretativa. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 21(1), 25–37. https://doi.org/10.14195/2176-6436_21-1_2

Edição

Seção

Artigos