A poesia dramática de Plauto em um canticum polimétrico do Amphitruo

Autores

  • Marcelo Vieira Fernandes Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.14195/2176-6436_22-2_6

Palavras-chave:

Plauto, Anfitrião, métrica, ‘lirismo’ romano.

Resumo

O monólogo lamentoso do escravo Sósia, nos versos 153-262 do Anfitrião de Plauto, é exemplo da virtuosidade métrica do poeta e da qualidade ao mesmo tempo sonora e imagética de sua poesia. A partir de certa noção particular de ‘lirismo’ na poesia romana – tal como Pierre Grimal a expõe em Le lyrisme à Rome – examino aqueles versos de Plauto (dos quais apresento uma tradução) procurando demonstrar de que maneiras se associam ritmo, som, imagem e sentido, e de que modo tal associação é coerente com aquela noção particular de lirismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DUPONT, Florence. L’Acteur-Roi ou le théâtre dans la Rome antique. Paris: Les Belles Lettres, 1985. (Collection Realia)

GRIMAL, Pierre. Le lyrisme à Rome. Vendôme: Presses Universitaires de France, 1978.

NOUGARET, Louis. Traité de métrique latine classique. Paris: Librairie Klincksieck, 1948.

PLAUTE. Amphitryon, Asinaria, Aulularia. Texte établi et traduit par Alfred Ernout. Paris: Les Belles Lettres, 1970.

QUESTA, Cesare. Introduzione alla metrica di Plauto. Bologna: Casa Editrice Prof. Riccardo Pàtron, 1967.

REBOUL, Olivier. Introdução à retórica. Trad. Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Downloads

Publicado

02-12-2009

Como Citar

Fernandes, M. V. (2009). A poesia dramática de Plauto em um canticum polimétrico do Amphitruo. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 22(2), 240–260. https://doi.org/10.14195/2176-6436_22-2_6

Edição

Seção

Artigos