Tragédia, finitude e os impasses da filosofia do trágico

Autores

  • Gilmário Guerreiro da Costa Universidade Católica de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.14195/2176-6436_23_3

Palavras-chave:

Tragédia, Filosofia do trágico, Finitude, Contradição.

Resumo

O presente artigo delineia uma possibilidade de análise das relações entretragédia e filosofia, com foco residindo nas questões suscitadas pela tragédia grega que serviram de esteio à construção da filosofia do trágico. Nesse itinerário, o problema da finitude recobrou especial interesse, ao qual concedemos ênfase. O itinerário conduziu a impasses que se referem às próprias possibilidades de a filosofia construir uma escrita coerente com o objeto que buscou estudar, a saber, o trágico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilmário Guerreiro da Costa, Universidade Católica de Brasília

Professor da Universidade Católica de Brasília e pós-doutorando no Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília, onde desenvolve pesquisa junto ao grupo Archai, sob supervisão do Prof. Dr. Gabriele Cornelli.

Referências

ADORNO, T. W. Teoria estética. Trad. Artur Morão. São Paulo: Martins Fontes, 1982.

AGAMBEN, G. Filosofia e Tragédia. A filosofia como retomada da consciência trágica. In: ______. A linguagem e a morte: um seminário sobre o lugar da negatividade. Trad. Henriques Burigo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

ARISTÓTELES. Poética. Trad. Eudoro de Souza. São Paulo: Ars Poetica, 1992.

De MAN, P. Alegorias da leitura: linguagem figurativa em Nietzsche, Rilke e Proust. Trad. Lenita Esteves. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

ÉSQUILO. Agamêmnon. In: Oréstia: Agamêmnon, Coéforas, Eumênides. Trad. Mário da Gama Kury. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1991.

LACOUE-LABARTHE, P. A imitação dos modernos: ensaios sobre arte e filosofia. Org. Virginia de Araújo Fiqueiredo e João Camilo Penna; trad. João Camilo Penna et al. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

LORAUX, N. A tragédia grega e o humano. Trad. Maria Lúcia Machado. In: NOVAES, Adauto (Org.). Ética. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

MACHADO, R. Zaratustra: tragédia nietzschiana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

NIETZSCHE, F. Além do bem e do mal: prelúdio a uma filosofia do futuro. Trad. Paulo César Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

NIETZSCHE, F. Also sprach Zarathustra: ein Buch für alle und keinen. Köln: Anaconda Verlag, 2005.

NIETZSCHE, F. Assim falou Zaratustra. Trad. Mário da Silva. Rio de Janeiro: Editora Bertrand, 1989.

NIETZSCHE, F. Assim falou Zaratustra: um livro para todos e ninguém. In: ______. Obras incompletas I. Trad. Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Nova Cultural, 1987. (Coleção Os Pensadores).

NIETZSCHE, F. O caso Wagner: um problema para músicos / Nietzsche contra Wagner: dossiê de um psicólogo. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

ROSA, G. Grande sertão: veredas. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. v. 2.

ROSA, G. Primeiras estórias. In: ______. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. v. 2.

SCHELLING, F. W. Cartas filosóficas sobre o dogmatismo e o criticismo. In: ______. Obras escolhidas. Trad. Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Abril Cultural, 1979. (Col. Os Pensadores).

SZONDI, Peter. Ensaio sobre o trágico. Trad. Pedro Süssekind. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

Downloads

Publicado

02-09-2010

Como Citar

Costa, G. G. da. (2010). Tragédia, finitude e os impasses da filosofia do trágico. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 23(1/2), 42–54. https://doi.org/10.14195/2176-6436_23_3

Edição

Seção

Artigos