Reflexões sobre a noção de “arte alusiva” e de intertextualidade no estudo da poesia latina

Autores

  • Paulo Sérgio de Vasconcellos Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.24277/classica.v20i2.147

Palavras-chave:

Intertextualidade, Alusão, Arte alusiva, Hermenêutica, Poesia latina.

Resumo

A partir das críticas e debates mais recentes sobre as análises intertextuais na poesia latina, este artigo apresenta reflexões sobre o tema, defendendo o emprego da noção de “arte alusiva” como ferramenta teórica útil e ainda válida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACHCAR, Francisco. Lírica e lugar-comum. Alguns temas de Horácio e sua presença em português. São Paulo: EdUSP, 1994.

ANDRÉ, Jacques. Ovide. Tristes. Paris: Les Belles Lettres, 1968.

BARCHIESI, Alessandro. Speaking volumes. Narrative and intertext in Ovid and other Latin poets. London: Duckworth, 2001.

BORGES, Jorge Luis. Kafka e seus precursores. In: ______. Obras completas. V. II. 1952-1972. Rio de Janeiro: Globo, 1999.

CALDWELL, Helen. O Otelo brasileiro de Machado de Assis. São Paulo: Ateliê, 2002.

CARDOSO, Isabela Tardin. Ars Plautina: Metalinguagem em gesto e figurino. 2005. Tese (Doutorado) - FFLCH-USP, São Paulo, 2005.

CESILA, Robson Tadeu. O palimpsesto epigramático de Marcial: intertextualidade e geração de sentidos na obra do poeta de Bílbilis.

CICU, Luiciano. Le api, il miele, la poesia. Dialettica intertestuale e sistema letterario greco-latino. Roma: La Sapienza, 2005.

CONTE, Biagio. Saggio di interpretazione dell’“Eneide”. Ideologia e forma del contenuto. In ______. Virgilio. Il genere e i suoi confini. Milano: Garzanti, 1984.

ECO, H. Sulla Letteratura. Milano: Tascabili Bompiani, 2003.

ECO, Umberto. Interpretação e superinterpretação. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

EDMUNDS, Lowel. Intertextuality and the reading of Roman poetry. Baltimore; London: The John Hopkins University Press, 2001.

ERNOUT, Alfred. Pétrone. Le Satiricon. Paris: Les Belles Lettres, 1950.

FARANDA, Rino; PECCHIURA, Piero. Quintiliano. L’istituzione oratoria. Torino: UTET, 1996.

FIORIN, J. L. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática, 2006.

FOWLER, Don. On the shoulders of giants: intertextuality and classical studies. In: Roman constructions. Readings in postmodern Latin. Oxford: Oxford University Press, 2000.

GENETTE, Gérard. Palimpsestes. La littérature au second degré. Paris: Seuil, 1982.

HEXTER, Ralph. Imitating Troy: a Reading of Aeneid 3. In: PERKELL, Christine (Ed.). Reading Vergil’s Aeneid. An interpretive guide. Nortman: The University of Oklahoma Press, 1999.

HINDS, Stephen. Allusion and intertext. Dynamics of appropriation in Roman poetry. Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

KOCH, Ingedore et al. Intertextualidade. Diálogos possíveis. São Paulo: Cortez, 2007.

LYNE, R. O. A. M. Further voices in Vergil’s Aeneid. Oxford: Oxford University Press, 1992.

MACHADO DE ASSIS, J. M. Dom Casmurro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

MANZONI, Gianenrico. Pugnae maioris imago. Intertestualità e rovesciamento nella seconda esade del’Eneide. Milano: Vita e Pensiero, 2002.

O’HARA, James J. True names. Vergil and the Alexandrian tradition of etymological wordplay. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 1996.

OLIVA NETO, João Angelo (Trad.). O livro de Catulo. São Paulo: EdUSP, 1996.

OLIVA NETO, João Angelo. Falo no jardim, Priapéia grega, priapéia latina. São Paulo: Ateliê e Ed. UNICAMP, 2006.

PASQUALI, Giorgio. Arte allusiva. Pagine stravaganti, Firenze, Sansoni, v. 2, p. 275-282, 1968.

PERRET, Jacques. Virgile. Énéide. Livres V-VIII. Paris: Les Belles Lettres, 1989.

PIANEZZOLA, Emilio (A cura di). Ovidio. L’arte di amare. Commento di Gianluigi Baldo, Lucio Cristante e Emilio Pianezzola. Roma: Fundação Lorenzo Valla, 1993.

PRATA, Patrícia. O caráter alusivo dos Tristes de Ovídio: uma leitura intertextual do livro I. 2002. Dissertação (Mestrado) – Unicamp, Campinas, 2002.

PRATA, Patrícia. O caráter intertextual dos Tristes de Ovídio: uma leitura dos elementos épicos virgilianos. 2007. Tese (Doutorado) – Unicamp, Campinas, 2007.

RAT, Maurice. Suétone. Les douze césars. Paris: Garnier, 1955.

ROSTAGNI, Augusto. Orazio. Arte poetica. Torino: Loescher, 1986.

THILO, Georg; HAGEN, Hermann. Servii grammatici qui feruntur in Vergilii carmina commentarii. Hildesheim; Zürich; New York: Georg Olms Verlag, 1986. v. 2.

TREVIZAM, Matheus. A elegia erótica romana e a tradução didascálica como matrizes compostivas da Ars amatoria de Ovídio. 2003. Dissertação (Mestrado) - IEL-UNICAMP, Campinas, 2003.

VASCONCELOS, Paulo Sérgio de. Efeitos intertextuais na Eneida de Virgílio. São Paulo: Humanitas; FAPESP, 2001.

VILLENEUVE, François. Horace. Satires. Paris: Les Belles Lettres, 1951.

VIRGÍLIO. Eneida. Trad. Barreto Feio e J. M. da Costa e Silva. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

WARMINGTON, E. H. (Ed.). Remains of old Latin. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1988.

Downloads

Publicado

2007-12-02

Como Citar

Vasconcellos, P. S. de. (2007). Reflexões sobre a noção de “arte alusiva” e de intertextualidade no estudo da poesia latina. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, 20(2), 239–260. https://doi.org/10.24277/classica.v20i2.147

Edição

Seção

Artigos