Pliny’s Natural History: a medium for preservation and a cause of loss of knowledge

Jacob Isager

Resumo


A História Natural de Plínio: meio de conservação e causa de perda de conhecimento. A História Natural de Plínio pretende ser um inventário do mundo conhecido para os romanos. Este artigo discute, na sua primeira parte, as razões desse projeto. Foi um enorme trabalho coletar e organizar o material, e como exemplo de metodologia, escolhi os capítulos de arte grega e romana (ou arte greco-romana) que tiveram grande impacto nas posteriores histórias da arte. Uma análise da exposição de Plínio sobre a história da arte romana e grega revela que ele tinha diferentes motivos para estabelecer essas histórias da arte. O que liga as duas partes como uma uma unidade é o impacto das peças de arte grega e romana no espaço urbano de Roma. Templos e outros prédios públicos funcionavam como galerias de arte, com variadas coleções de obras-primas da arte grega, com isso elevando Roma à posição de grande centro do mundo. Assim como as coleções de estátuas, a História Natural de Plínio, com sua coleção de memórias do Império Romano, preserva conhecimento esquecido. Tornou-se um monumento ao conhecimento do mundo inteiro e foi transmitido a nós em sua totalidade


Palavras-chave


História Natural; preservação do conhecimento; história da arte grega; históia da arte romana; arte greco-romana; memória e monumentos

Texto completo:

PDF (English)

Referências


s/ref.




DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v19i1.108

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2013 Jacob Isager

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional