Eloqüência, liberdade e educação no Dialogus de oratoribus

Ariovaldo A. Peterlini

Resumo


Visa o trabalho trazer à consideração de hoje idéias e fatos selecionados no Dialogus de oratoribus, de Tácito, como auxílio ao melhor entendimento do signi?cado da maior ou menor liberdade de ser e expressar-se, consoante o sistema político e o educacional, bem como da atuação da eloqüência nessa liberdade. A oratória tida por decadente na época de Tácito, embora vista ainda como arte de proteção e salvação é raramente, quase a medo, tratada à luz da política dominante. A educação falha e a “paz” política seriam as causas dessa decadência na época imperial. Na visão romana, a liberdade propriamente dita, a absoluta libertas, depende inicialmente dos educadores. A liberdade está também condicionada ao grau de conhecimento, em cuja área a persuasão “democrática” da eloqüência pode licitamente agir, e a uma política capaz de respeitar essa liberdade. No Império, a eloqüência não se suicidaria, ousando contra o príncipe. Daí que, no dizer de Syme, a oratória que sobrevivia então era o “modelo da eloqüência forense dos acusadores, aquela eloqüência que jorrava sangue e tresandava a ganhos ilícitos”. As escolas tinham nisso parte grande, em virtude da super?cialidade da educação na época. Tendo vivido e vivendo sob a pressão dos imperadores, embora deixe entrever sua angústia, Tácito acomoda-se para sobreviver, mas descobre uma maneira de ensinar a verdade, narrando o que aconteceu no passado, porque a maior parte das pessoas aprende com o que acontece aos outros (plures aliorum euentis docentur).


Palavras-chave


Dialogus de oratoribus; Tácito; retórica; eloqüência; liberdade; educação romana; política romana.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBRECHT, M. Storia della Letteratura Latina. Trad. A. Setaioli. Torino: Giulio Enaudi, 1995. v. II.

ANDRÉ, J.-M. La philosophie à Rome. Paris: Presses Universitaires de France, 1977.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco, II, I, 3.

BOISSIER, G. Tacite. Paris: Librairie Hachette, 1908.

COVA, P. V. Lo stoico imperfetto. Napoli: Società Editrice Napoletana, 1978.

FEDELI, P. Letteratura latina. Napoli: Edizioni “Il Tripode”, 1986.

GIANOTTI, G. F.; PENNACINI, A. Società e comunicazione letteraria di Roma antica. 2. ed. Torino: Loescher Editore, 1990.

GOBRY, I. La philosophie pratique d’Aristote. Lyon: Presses Universitaires de Lyon, 1995.

LA PENNA, A. La cultura letteraria a Roma. Roma-Bari: Editori Laterza, 1986.

LALANDE, A. Vocabulaire technique et critique de la philosophie. Paris: Presses Universitaires de France, 1972.

LEVI, A. Historia de la Filosofia Romana. Trad. Héctor Pozzi. Buenos Aires: Eudeba Editorial Universitaria de Buenos Aires, 1969.

MARCHESE, A. Dizionario di retorica e di stilistica. Milano: Mondadori, 1984.

MARIOTTI, I. Storia e testi dalla litteratura latina. Bologna: Zanichelli Editore, 1986. v. II.

MARTIN SANCHEZ, M. A. F. El ideal del sábio en Seneca. Cordoba: Imprensa San Pablo, 1984.

MICHEL, A. Histoire des doctrines politiques a Roma. Paris: Presses Universitaires de France, 1971.

PETERS, F. F. Tácito e il destino dell’Impero. 3. ed. Trad. Alfredo Salsano. Torino: Enaudi, 1982.

PETERS, F. F. Termos filosóficos gregos. 2. ed. Trad. Beatriz R. Barbosa. Lisboa: Calouste Kulbenkian, 1983.

PIGANIOL, A. Historia de Roma. 3. ed. Trad. Ricardo Anaya. Buenos Aires: Editorial Universitaria de Buenos Aires, 1974.

SCIACCA, M. F. El problema de la educación. Trad. Juan J. Ruiz Cuevas. Barcelona: Luis Miracle Ed., 1957.

SENECA. Annales. Paris: Les Belles Lettrres, 1953-1978.

SENECA. Dialogues des orateurs. 3. ed. Paris: Les Belles Lettres, 1947.

SENECA. Histoires. Paris: Les Belles Lettres, 1949-1951.

SENECA. Lettere a Lucilio. Milano, Rizzoli Editore, 1985.

SENECA. Vie d’Agricola. 2. ed. Paris: Les Belles Lettres, 1948.

SYME, R. Tacitus. Oxford: Clarendon Press, 1958.

TACITE. Dialogue des orateurs. 4. ed. Introdução e notas de H. Goelzer. Paris: Librairie Hachette, 1908.

TÁCITO. Obras Menores. Trad. e nota prévia de Agostinho da Silva. Lisboa: Livros Horizonte, 1974.




DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v19i1.106

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2013 Ariovaldo A. Peterlini

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Classica está licenciada sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional