[1]
E. Bouzon, “O uso do transe extático no processo da adivinhação babilônica”, Classica, vol. 4, nº 4, p. 35–52, dez. 1991.