[1]
M. C. C. Dezotti, “A significação das estruturas formulares dos epimítios da fábula esópica anônima”, Classica, vol. 5, nº 1, p. 117–132, dez. 1993.