[1]
L. F. Verissimo, “O único humanista autêntico é o canibal”, Classica, vol. 26, nº 2, p. 7–8, dez. 2013.