[1]
R. Gazolla, “Representação compreensiva: critério de verdade e virtude no Estoicismo Antigo”, Classica, vol. 19, nº 2, p. 187–195, dez. 2006.